PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

Sem autonomia, cloroquina, imunidade de rebanho: o que Teich disse na CPI

do UOL

Do UOL, em São Paulo

05/05/2021 11h28Atualizada em 05/05/2021 16h48

O ex-ministro da Saúde do governo Bolsonaro Nelson Teich participa hoje da CPI da Covid no Senado. Segundo nome a ocupar a pasta durante a pandemia — foram quatro ministros até agora — ele falou sobre a chegada ao cargo e as dificuldades e divergências com o governo federal.

O oncologista comandou a pasta por menos de um mês, entre 17 de abril e 15 de maio do ano passado. Segundo Teich, a sua saída foi motivada pela "falta de autonomia" dada pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) e ampla defesa do uso da cloroquina, pelo mesmo, para tratamento da covid-19. Teich afirmou que as recomendações do uso do medicamento não passaram por ele.

Veja frases de Nelson Teich na CPI da Covid:

Perfil técnico

Uma coisa que vai ficar marcada aqui nesse depoimento é que minha condução é técnica. Tudo o que eu faço é baseado em informação, e informação de qualidade. Quando não tenho essa informação, vou buscá-la. Realmente não me coloco de forma superficial para problema complexo.
Nelson Teich, ex-ministro da Saúde

Divergências sobre uso da cloroquina

O que eu vivi naquele período a gente nem ouvia falar de cloroquina. Dia a dia é extremamente intenso, porque era um momento muito dificil. Faltavam respiradores, EPI, mortes e casos aumentando. Foi um assunto que não chegou a mim a produção de cloroquina.
Nelson Teich

Se aconteceu distribuição [para povos indígenas], ocorreu sem eu saber. Tanto que minha orientação era contrária. Não era do meu conhecimento e se eu tivesse sabido, não deixaria fazer.
Nelson Teich

Isso é uma coisa pública, senador. Existia um desejo do presidente para fazer isso.
Nelson Teich, sobre pedido de protocolo para uso da cloroquina

Vacinas

No meu período ainda não tinha nenhuma vacina sendo comercializada, era o começo do processo da vacina. Foi quando eu trouxe o estudo da AstraZeneca para o estudo ser realizada no Brasil, para o Brasil ser um dos braços do estudo, na expectativa que a gente tivesse uma facilidade na compra futura.
Nelson Teich

Aumento de casos

Sendo muito franco, a gente nunca sabe se vai ter uma segunda onda, se vão ser três. Então são algumas escolhas que você tem que fazer como gestor, onde você se prepara para os diferentes cenários e um deles era a possibilidade de uma segunda onda.
Nelson Teich, sobre aumento de casos de covid durante sua gestão

Pedido de demissão

O pedido foi pelo desejo de ampliação do uso da cloroquina. Quero colocar que esse era um problema pontual, mas refletia uma falta de autonomia e falta de liderança.
Nelson Teich

Acho que são duas situações distintas,uma é o presidente mostrar a caixa, a outra é o remédio funcionar ou não. A minha indicação do remédio depende da comprovação do funcionamento, independente do que o presidente faça.
Nelson Teich, sobre eficácia da cloroquina

A autonomia assume que todo médico tem conhecimento máximo sobre tudo que ele faz. Se isso não é verdade, a autonomia deve ser avaliada e acompanhada. Porque quando você permite que uma pessoa utilize de forma inadequada, acho que você pode estar prejudicando a sociedade.
Nelson Teich, sobre autonomia médica

Pazuello como ministro

Acho que ele fez o papel dele. Lembro da gente buscando ventiladores, respiradores, antes de ir para distribuição. Aquele momento era realmente um momento bem difícil. Estava faltando no mundo, uma competição mundial por respirador.
Nelson Teich

Economia x saúde

Economia e saúde não são coisas distintas. Quando você avalia a sociedade, o nível de saúde da sociedade, você tem o cuidado em saúde, e tem os determinantes sociais da saúde, você tem economia, saúde, educação, onde a pessoa mora, uma série de coisas. Se achava até que a educação era o principal fator de saúde da sociedade.
Nelson Teich

Qual é o problema prático, o que aconteceu que achei que foi muito ruim: a economia foi tratada como dinheiro e empresa e a saúde como vidas, sofrimento e morte, mas na verdade, tudo é gente. Quando você fala de economia você não fala de empresas, você fala de gente.
Nelson Teich

Notícias