Topo

Ex-presidente FHC e Movimento Sem-Terra não farão aliança contra Bolsonaro

Arte UOL sobre foto de Felipe Rau/Estadão Conteúdo
Imagem: Arte UOL sobre foto de Felipe Rau/Estadão Conteúdo
do UOL

Lucas Borges Teixeira

Colaboração para o UOL, em São Paulo

2019-05-23T04:02:00

23/05/2019 04h02

Uma nova aliança entre grupos historicamente distantes seria o mais novo bloco contra o governo de Jair Bolsonaro (PSL). De acordo com uma mensagem falsa que circula pelas redes sociais, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) teria sugerido ao MST (Movimento dos Trabalhadores Sem-Terra) a formação de uma aliança contra a atual gestão.

Durante 16 anos, FHC fingiu ser oposição e se manteve em silêncio diante [dos] roubos do PT. Agora, sem Lula no cenário político, FHC deixa a máscara cair e propõe aliança entre PSDB e o grupo MST para lutar contra o novo governo e contra o Brasil.

O texto foi postado no Twitter e compartilhado no Facebook e em aplicativos de mensagem.

FALSO: FHC e MST não farão aliança contra Bolsonaro

A informação não procede. Embora não componham a base do governo Bolsonaro, os dois grupos negaram qualquer tipo de aliança.

"A notícia é mentirosa, assim como o são várias outras com as quais constantemente nos deparamos", afirmou a assessoria do ex-presidente Fernando Henrique em resposta ao UOL.

O PSDB, partido do ex-presidente, também negou que tenha proposto qualquer aliança ao movimento.

O MST afirma se tratar de fake news. Ao UOL, o movimento disse que não recebeu ou fez qualquer convite para se juntar ao PSDB ou ao ex-presidente em um bloco contra o governo.

A relação PSDB x governo

Apesar de não formarem uma aliança, nenhum dos grupos compõe a base de apoio do governo Bolsonaro. Eles inclusive têm posições contrárias sobre a reforma da Previdência, principal pauta do Executivo.

O PSDB é um dos apoiadores da reforma, mas com ressalvas ao projeto. O partido se diz independente em relação ao governo e afirma que não fará parte dele.

O próprio FHC, que já declarou postura crítica quanto ao governo atual, afirma que a reforma é necessária, mas não pode "tirar dos mais pobres".

Sem-Terra se declaram parte da oposição

Já o MST tem uma postura mais rígida quanto ao governo Bolsonaro: o movimento se diz de oposição e contra a reforma da Previdência, além de ser um dos apoiadores das greves e passeatas feitas contra a gestão Bolsonaro neste primeiro semestre.

Mais Notícias