Topo
Notícias

Conteúdo publicado há
15 dias

Onda de calor na Índia mata pelo menos 33 pessoas; capital registrou 52,9ºC

Pessoas se refrescam em um mercado, em meio à onda de calor em Varanasi, Índia - Niharika Kulkarni/AFP/31.mai.2024
Pessoas se refrescam em um mercado, em meio à onda de calor em Varanasi, Índia Imagem: Niharika Kulkarni/AFP/31.mai.2024

31/05/2024 14h04

Pelo menos 33 pessoas, incluindo funcionários eleitorais em serviço, morreram de suspeita de insolação nos estados indianos de Bihar, Uttar Pradesh e Odisha nesta sexta-feira, e a onda de calor na região deve continuar até sábado, disseram autoridades.

A Índia vem passando por um verão extremamente quente e uma parte da capital, Déli, registrou a temperatura mais alta do país — 52,9º Celsius —, nesta semana, embora isso possa ser revisto pelo departamento meteorológico, que verifica os sensores da estação meteorológica que registrou a leitura.

Mesmo com a previsão de as temperaturas no noroeste e no centro da Índia caírem nos próximos dias, a onda de calor predominante no leste da Índia deve seguir por dois dias, disse o Departamento Meteorológico da Índia (IMD), que declara onda de calor quando a temperatura é entre 4,5°C e 6,4°C mais alta que o normal.

Quatorze pessoas morreram em Bihar na quinta-feira, segundo autoridades, incluindo 10 pessoas envolvidas na organização das eleições nacionais de sete fases que estão em andamento. Funcionários eleitorais geralmente precisam ficar de plantão o dia todo, muitas vezes ao ar livre.

Partes de Bihar estão vão votar na rodada final das eleições no sábado.

No Estado de Uttar Pradesh, o mais populoso da Índia, pelo menos nove funcionários eleitorais, incluindo seguranças, morreram nesta sexta-feira de acordo com autoridades do governo.

"Eles tinham febre alta quando foram trazidos. Também pode ter sido devido à insolação. No momento, estamos tratando pelo menos 23 pessoas trazidas do serviço eleitoral", disse a jornalistas R B Kamal, diretor da faculdade de medicina onde os funcionários estão sendo tratados.

A maior eleição do mundo e sua exaustiva campanha foram atingidas por temperaturas recordes. A última fase da votação está programada para ser realizada no sábado e os votos serão contados na terça-feira.

Dez mortes também foram registradas no hospital do governo na região de Rourkela, em Odisha, na quinta-feira, disseram autoridades à Reuters, o que levou o governo de Odisha a desaconselhar atividades ao ar livre entre 11h e 15h, quando as temperaturas atingem o pico.

Três pessoas morreram de suspeita de insolação no Estado de Jharkhand, vizinho a Bihar, informou a mídia local.

Em Délhi, onde as altas temperaturas têm feito com que pássaros e macacos selvagens desmaiem ou adoeçam, o zoológico conta com piscinas e aspersores para aliviar seus 1.200 ocupantes.

"Mudamos para uma dieta de gerenciamento de verão, que inclui uma dieta mais líquida, bem como todas as frutas e legumes da estação, que contêm mais água", disse Sanjeet Kumar, diretor do zoológico, à agência de notícias ANI.

Délhi, onde a temperatura era de 45,4º C na tarde desta sexta-feira, registrou sua primeira morte relacionada ao calor nesta semana e passa por uma aguda escassez de água.

Bilhões de pessoas em toda a Ásia enfrentam o aumento das temperaturas — tendência que, segundo cientistas, foi agravada pela mudança climática causada pelo homem.

Vizinho da Índia, o Paquistão também registrou um aumento nos incêndios florestais com a elevação das temperaturas, que chegaram a 52,2ºC na semana passada.

A Índia é o terceiro maior emissor de gases de efeito estufa do mundo, mas estabeleceu a meta de tornar-se um emissor líquido zero até 2070.

Enquanto o calor afeta parte do país, os estados de Manipur e Assam, no nordeste, foram atingidos por fortes chuvas após o ciclone Remal, com várias áreas inundadas nesta sexta-feira.

As chuvas de monções também atingiram a costa do Estado de Kerala, no extremo sul do país, na quinta-feira, dois dias antes do esperado.

Notícias