Topo
Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

Ucrânia diz que derrubou avião militar russo usado em ataque que deixou 8 mortos

O avião militar Tupolev Tu-22M3 lança bombas durante a competição Aviadarts, parte dos Jogos Internacionais do Exército de 2018, na cordilheira de Dubrovichi, Rússia, em 4 de agosto de 2018 - Maxim Shemetov/REUTERS
O avião militar Tupolev Tu-22M3 lança bombas durante a competição Aviadarts, parte dos Jogos Internacionais do Exército de 2018, na cordilheira de Dubrovichi, Rússia, em 4 de agosto de 2018 Imagem: Maxim Shemetov/REUTERS

Tom Balmforth;Anastasiia Malenko;

19/04/2024 08h13Atualizada em 19/04/2024 08h31

A Ucrânia abateu um bombardeiro estratégico russo a 300 km de sua fronteira na sexta-feira, depois que o avião de guerra participou de um ataque aéreo de longo alcance que matou pelo menos oito pessoas, incluindo duas crianças na região central de Dnipropetrovsk, disse Kiev.

Mísseis caíram sobre a cidade de Dnipro e a região circundante durante a madrugada, danificando edifícios residenciais, a principal estação de trem e ferindo pelo menos 28 civis, disseram autoridades regionais.

Nas últimas semanas, a Rússia intensificou seus ataques aéreos de longo alcance contra o sistema de energia da Ucrânia e outros alvos, aumentando a pressão sobre Kiev, muito atrás nas linhas de frente, onde as forças russas têm avançado lentamente no leste.

O presidente Volodymyr Zelenskiy pediu aos aliados de Kiev que fornecessem urgentemente defesas aéreas, já que os estoques da Ucrânia estão diminuindo devido a uma desaceleração na ajuda militar vital do Ocidente.

"A Rússia precisa ser responsabilizada por seu terror, e cada míssil, cada Shahed (drone) precisa ser abatido", disse ele. "O mundo pode garantir isso, e nossos parceiros têm as capacidades necessárias."

Em um fato inédito para a Ucrânia durante a invasão, o comandante da Força Aérea de Kiev e a agência de espionagem militar disseram que haviam abatido um bombardeiro estratégico russo Tu-22M3 que disparou mísseis contra a Ucrânia durante o ataque noturno.

O avião de guerra, segundo eles, estava voando no espaço aéreo russo a 300 km da fronteira ucraniana.

Uma fonte da inteligência afirmou à Reuters que Kiev usou um míssil de defesa aérea S-200 modificado para o ataque, mas não disse de onde ele havia sido disparado. O S-200 é um sistema de mísseis terra-ar de longo alcance da era soviética.

Imagens de mídia social não confirmadas mostraram um avião de guerra com a cauda em chamas em direção ao solo.

O Ministério da Defesa russo disse que o bombardeiro caiu na região de Stavropol, no sul da Rússia, a centenas de quilômetros do território controlado pela Ucrânia, quando retornava à base após realizar uma missão de combate.

No entanto, afirmou que a queda parece ter sido causada por um mau funcionamento técnico.

Os quatro membros da tripulação da Força Aérea russa foram ejetados do avião de guerra; dois foram resgatados, um morreu e uma operação estava em andamento para resgatar o quarto, disse o governador regional russo.

Notícias