Topo
Notícias

Scholz diz que é 'perigoso' relativizar cláusula de defesa mútua da OTAN após comentários de Trump

Chanceler alemão Olaf Scholz - Tobias Schwarz / AFP
Chanceler alemão Olaf Scholz Imagem: Tobias Schwarz / AFP

Alan Charlish;Sarah Marsh;John Irish;

Da Reuters

12/02/2024 16h23Atualizada em 12/02/2024 18h13

O chanceler alemão, Olaf Scholz, disse na segunda-feira que qualquer relativização da cláusula de defesa mútua da OTAN é "perigosa" e serve apenas à Rússia, após os comentários do ex-presidente dos EUA Donald Trump questionando a disposição fundamental da aliança.

Trump, que está buscando a reeleição, provocou indignação entre os parceiros ocidentais durante o fim de semana após sugerir que os Estados Unidos poderiam não proteger os aliados da OTAN que não estão gastando o suficiente em defesa contra uma possível invasão russa.

"Qualquer relativização da garantia de assistência da OTAN é irresponsável e perigosa", disse Scholz a repórteres durante uma coletiva de imprensa conjunta com o primeiro-ministro polonês Donald Tusk. "Isso é do interesse exclusivo da Rússia. Ninguém deve brincar ou negociar com a segurança da Europa."

A Alemanha atingirá a meta da OTAN de gastar 2% da produção econômica em defesa este ano — e continuará a atingi-la nos anos seguintes, disse Scholz.

Notícias