Topo
Notícias

Conteúdo publicado há
2 meses

Alpinistas morrem após erupção de vulcão na Indonésia; 12 estão desaparecidos

04/12/2023 06h52Atualizada em 04/12/2023 10h50

Ao menos 11 pessoas morreram e 12 continuam desaparecidas após a erupção do vulcão Marapi, na região oeste da Indonésia, anunciaram nesta segunda-feira (4) os serviços de emergência após uma noite de buscas, durante a qual resgataram três montanhistas.

No momento da erupção, no domingo, 75 pessoas estavam no local e 26 não foram resgatadas a tempo, informou Abdul Malik, diretor da Agência de Busca e Resgate de Padang.

"Encontramos 14 pessoas, três com vida e 11 foram encontradas mortas", disse Malik.

Os três sobreviventes foram resgatados perto da cratera "em estado debilitado, alguns com queimaduras", acrescentou o diretor.

As equipes de resgate trabalharam durante a noite para ajudar os montanhistas, informou a agência de conservação ambiental de Sumatra Ocidental.

O monte Marapi, na ilha de Sumatra, com 2.891 metros de altura, entrou em erupção no domingo às 14h54 locais (4h54 de Brasília), o que gerou uma coluna de cinzas de três quilômetros de altura.

Doze pessoas continuam desaparecidas e, entre as 49 que conseguiram descer da montanha a tempo, algumas estão hospitalizadas, segundo Malik.

Um vídeo enviado à AFP pelas equipes de resgate mostra uma ambulância retirando um montanhista com queimaduras da área de perigo.

Outro vídeo mostra um socorrista durante a noite, com uma lanterna no capacete, ajudando uma pessoa que geme de dor.

A erupção, que prossegue, impede as operações de resgate com helicóptero, explicou Malik. "Durante a manhã, ainda saía fumaça do cume", acrescentou.

As cinzas expelidas pelo monte Marapi alcançaram 3.000 metros acima do cume, anunciou no domingo Hendra Gunawan, diretor do Centro Indonésio de Vulcanologia e Riscos Geológicos.

Rudy Rinaldi, diretor da Agência de Mitigação de Desastres de Sumatra Ocidental, afirmou à AFP que alguns montanhistas resgatados receberam atendimento médico.

"Alguns sofreram queimaduras porque estava muito quente e tiveram que ser levados ao hospital", disse. "Os feridos são os que chegaram mais perto da cratera do vulcão", acrescentou.

Oito pessoas sofreram queimaduras, outra uma fratura e um montanhista sofreu um ferimento na cabeça, segundo uma lista de pessoas resgatadas pela agência nacional de busca Basarnas.

Os moradores das localidades próximas receberam máscaras e ordens para permanecerem em suas casas.

O Marapi, que significa "montanha de fogo", é o vulcão mais ativo de Sumatra.

As autoridades determinaram uma zona de exclusão de três quilômetros ao redor da cratera.

"A chuva de cinzas atingiu a cidade de Bukittinggi", afirmou no domingo Ahmad Rifandi, funcionário da estação de monitoramento do monte Marapi.

A Indonésia fica na região conhecida como Círculo de Fogo do Pacífico, área de encontro de placas tectônicas e de grande atividade vulcânica e sísmica.

O país tem quase 130 vulcões ativos.

dsa-jfx-lth/jnd/zm/avl/fp

© Agence France-Presse

Notícias