PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

ONU alerta mundo para aumento de 2,7ºC com promessas de emissões atuais

As atuais metas para o corte das emissões de gases do efeito estufa colocam o planeta a caminho de um aumento de temperatura médio de 2,7ºC, alerta ONU antes das negociações da COP26 - Pawel Kopczynski/ Reuters
As atuais metas para o corte das emissões de gases do efeito estufa colocam o planeta a caminho de um aumento de temperatura médio de 2,7ºC, alerta ONU antes das negociações da COP26 Imagem: Pawel Kopczynski/ Reuters

Nina Chestney

26/10/2021 11h38Atualizada em 26/10/2021 12h03

Os compromissos atuais com o corte de emissões de gases de efeito estufa colocam o planeta a caminho de um aumento de temperatura médio de 2,7 graus Celsius neste século, disse um relatório da Organização das Nações Unidas (ONU) nesta terça-feira, outro alerta contundente antes de negociações cruciais sobre o clima.

Os governos estarão sob os holofotes na Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas de 2021 (COP26) da semana que vem para cumprirem um prazo deste ano de se comprometerem com metas de corte mais ambiciosas, o que pode ser a última chance de encaminhar o mundo a manter o aquecimento abaixo de 2 graus Celsius acima dos níveis pré-industriais, e idealmente em 1,5ºC.

Enquanto eventos climáticos extremos, que vão de incêndios florestais a inundações, atingem países de todo o globo, um relatório da ONU de agosto alertou que o aquecimento global provocado pelas emissões de gases de efeito estufa pode romper a marca de 1,5ºC nas próximas duas décadas.

Mas na segunda-feira o primeiro-ministro do Reino Unido, Boris Johnson, disse que é "incerto" se a rodada mais importante de conversas da ONU desde o Acordo de Paris de 2015 renderá os pactos necessários para se combater a mudança climática.

Antes da reunião de duas semanas que começa em Glasgow, na Escócia, no domingo, a Organização Meteorológica Mundial (OMM) disse que as concentrações de gases de efeito estufa atingiram um recorde no ano passado e que o mundo está "bem longe" de conter o aumento das temperaturas.

Notícias