PUBLICIDADE
Topo

Farmácias francesas podem fazer testes de anticorpos contra Covid-19

12/07/2020 15h47

As farmácias da França estão autorizadas, deste o sábado (11), a realizar testes de diagnóstico que permitem saber, em poucos minutos, se foram produzidos anticorpos contra o novo coronavírus.

As farmácias da França estão autorizadas, deste o sábado (11), a realizar testes de diagnóstico que permitem saber, em poucos minutos, se foram produzidos anticorpos contra o novo coronavírus.

Os testes rápidos de orientação diagnóstica (TROD) antes só podiam ser realizados por um laboratório de análises clínicas ou no hospital.

« Excepcionalmente (...) farmacêuticos (...) podem realizar testes rápidos para a detecção de anticorpos contra SARS-CoV-2", a partir de amostras de sangue, indica o texto do decreto do governo, que é "aplicável até 30 de outubro".

Os testes sorológicos consistem em coletar uma gota de sangue picando a pele, geralmente na ponta do dedo, e colocando o material em contato com um reagente. O resultado aparece em alguns minutos.

Se o teste TROD for positivo, isso significa que a pessoa foi exposta ao vírus e desenvolveu (ou está em processo de desenvolvimento) de uma resposta imune.

Análise complexa

Uma lista dos 51 tipos desses exames autorizados foi publicada pelo Ministério da Saúde. Alguns dos testes detectam apenas anticorpos IgG (para imunoglobulinas G), que são formados pelo menos 14 dias após o contato com o vírus, enquanto outros também indicam a presença de IgM (imunoglobulinas M), produzida anteriormente, e que pode ser detectada cerca de uma semana após a infecção.

Um resultado positivo deve ser confirmado em laboratório de análises biológicas por um exame de sangue para detalhar a resposta imune e, possivelmente, por um teste virológico (RT-PCR) para verificar se o vírus ainda está presente no corpo e, portanto, há risco de infecção para outras pessoas.

Há semanas, os farmacêuticos vêm exigindo a possibilidade de vender esses testes TROD, enquanto os sindicatos dos médicos biologistas se opunham fortemente a essa possibilidade.

Em um comunicado de imprensa, datado de 3 de julho, várias organizações de biologistas alertaram "as autoridades e o público em geral sobre as dificuldades de uso e a complexidade da interpretação dos resultados desses testes sorológicos".

 

Com informações da AFP.

 

Notícias