Topo

"Ela pratica o pó e o amor", dispara Rafael Ilha sobre Gabi Prado

Rafael Ilha conversa com Flávia Viana durante entrevista  - Reprodução/Facebook
Rafael Ilha conversa com Flávia Viana durante entrevista Imagem: Reprodução/Facebook
do UOL

Paulo Cintra

Colaboração para o UOL, em São Paulo

14/12/2018 15h50

Durante a tarde desta sexta (14), Rafael Ilha foi entrevistado por Flávia Viana nas redes sociais da RecordTV. O peão parecia muito feliz por sua vitória em "A Fazenda 10", mas deixou o sorriso de lado para criticar a postura de Gabi Prado.

"Ela não tem caráter, tanto que ela ficou falando de uso de drogas dela em um programa que jovens e adolescentes assistem. Uma pessoa que diz que prática o ‘pó e o amor’ na rua, você já imagina o que ela faz por aí, né?", disparou o ex-Polegar.

O comentário surgiu após a produção exibir um VT onde a modelo ataca Rafael. “Me preocupa muito um cara desses ser pai", disse Prado, chorando no vídeo. "Ela me falou que eu era um M bem grande, aí eu peguei e joguei o papel nela na atividade de cartas. Quando eu xinguei ela, foi que ela mexeu com a minha família primeiro. Ela se faz de coitadinha, mas o público viu. Ela não é nem uma pessoa, é apenas um ser. Eu realmente joguei no lixo, um lixo de hipocrisia e preconceito, uma mentirosa de primeira categoria. Eu não tenho dó, essas lágrimas são de crocodilo".

A apresentadora mudou de assunto e perguntou sobre a experiência do peão dentro do reality. “Flávinha, quando eu fui para “A Fazenda 10” completava 18 anos e 2 meses que me liberei da dependência do crack. Tava morando seis meses na rua, vendendo papelão debaixo da ponte. Passei um ano e meio internado e agora senti a mesma sensação. Eu tenho equilíbrio monstruoso, essas pessoas não iam me tirar do sério, já passei por coisas e pessoas muito piores e não me tiraram do sério. Você nunca pode se demonstrar fraco para seus oponentes. Foi mais uma grande vitória para minha vida", respondeu Ilha.

Perguntado sobre sua tática no jogo e chances de vitória, Rafael disse: "Não tinha como eu saber. Tive uma percepção muito grande depois da segunda roça, observando o perfil psicológico dos peões. Tive certeza que o público que estava acompanhando essa ‘A Fazenda’ era muito inteligente. Não queria roubalheira, corrupção, baixaria, queria ver justiça". 

Mais A Fazenda 10