PUBLICIDADE
Topo

Esporte

Em duelo contra a degola, Boavista vence, se salva, e afunda o Americano

17/03/2019 22h13

A situação na Taça Rio não importava mais. Boavista e Americano entraram em campo de olho na zona de rebaixamento da classificação geral, e o time de Saquarema levou a melhor. Jogando em casa, no Bacaxá, o Alviverde venceu por 1 a 0 a sua última partida no Campeonato Carioca, com gol de Arthur, ultrapassou o Botafogo, e não tem mais riscos de disputar a Seletiva em 2020.

Na penúltima posição na tabela geral, com cinco pontos, o Americano precisa vencer o Bangu, fora de casa, e torcer para o Madureira, com seis, não vencer na quinta e última rodada da Taça Rio. Para alcançar o Botafogo, com oito, em caso de derrota do Glorioso, o clube de Campos dos Goytacazes precisaria de tirar um número de saldo irreal. O Boavista, que enfrentaria o Fluminense teve a partida antecipada - a derrota por 3 a 0, na última quinta-feira.

Jogando em casa e diante de uma torcida não muito numerosa, mas muito barulhenta, o Boavista começou dominando as ações. Aos 12 minutos, veio a primeira grande chance: a bola sobrou limpa para o lateral Wellington Silva, dentro da área, que tentou o canto, mas jogou para fora. Aos 27, o gol não saiu por um milagre. Após um bate e rebate dentro da área, Elivélton finalizou duas vezes, e a bola teimou em não entrar. No rebote, Gustavo Geladeira, com o gol aberto, errou o alvo.

Expulsão detona o Americano

Apesar das chances do Boavista, o time de Campos conseguia se defender bem. Isso mudou quando, aos 31, após entrada de Dija Baiano, o zagueiro Espinho, do Americano, agrediu o atacante e foi expulso. Oito minutos depois, Artur Rezende fez fila e sofreu falta na entrada da área. Ele mesmo bateu, e com extrema categoria, botou no canto direito de Luis Henrique. A bola ainda tocou a trave antes de encostrar as redes do time alvinegro.

Relaxou, mas venceu

Com um a mais e a vantagem no placar, o Boavista se limitou a administrar a partida. O meia Renan Donizete, filho do 'Pantera', cobrou bem uma falta aos 20 da etapa final, defendida por Luis Henrique, e depois não aproveitou o erro de Léo Rosa, do Americano, na entrada da área, e isolou. No fim, o Alviverde de Saquarema relaxou na partida, mas Americano só assustou de verdade aos 31, com um chute potente defendido por Rafael. E foi só.

Esporte