PUBLICIDADE
Topo

Grupo de oposição pede criação de Comissão de Inquérito no Flamengo

08/03/2019 17h50

O grupo "Vanguarda Rubro-Negra", que na eleição presidencial foi representado pela chapa encabeçada por Marcelo Vargas, protocolou, na tarde desta sexta-feira, junto ao Conselho Deliberativo, Fiscal, Diretor e Administração, um pedido para que seja aberta uma Comissão de Inquérito para uma investigação interna sobre causas e efeitos do incêndio no Ninho do Urubu, que aconteceu há um mês e deixou 10 jovens mortos e três feridos.

No documento, que também foi entregue à Assembleia Geral e Grandes Beneméritos, o grupo afirma que "entende que uma Comissão de Inquérito deve ser instaurada, sem prejuízo do que está sendo apurado pelas autoridades municipais e estaduais competentes, trazendo com esse ato, amparado estatutariamente, a preservação do bom nome adquirido pelo FLAMENGO nos seus 123 anos de profícua história desportiva e social".

Além disso, há críticas à atual cúpula do Flamengo, apontando que "pessoas lutam por cargos, mas na hora dos ônus de uma tragédia, imputem ao acaso e/ou a terceiros responsabilidades, cujas atribuições lhes pertencem, justamente por serem eleitos ou nomeados para exercerem o comando".

Veja o documento na íntegra:

Rio de Janeiro, 08 de março de 2019.

Ilmo. Sr.

Luiz Rodolfo Landim Machado

DD. Presidente do Clube de Regatas do Flamengo

Nesta

Assunto: Instauração de Comissão de Inquérito - Centro de Treinamento George Helal

Senhor Presidente,

Decorridos trinta (30 dias) do lamentável incidente que abalou o Centro de Treinamento George Helal (Ninho do Urubu), o GRUPO VANGUARDA RUBRO-NEGRA, vem, respeitosamente, manifestar preocupação sobre a falta de apuração interna de responsabilidades, quanto ao infausto acontecimento que ceifou (dez) 10 vidas de jovens sonhadores e causou ferimentos em outros três (3), abortando, em pessoas de tenra idade, a esperança de alcançar seus objetivos profissionais no maior clube do Brasil.

Entende que uma Comissão de Inquérito deve ser instaurada, sem prejuízo do que está sendo apurado pelas autoridades municipais e estaduais competentes, trazendo com esse ato, amparado estatutariamente, a preservação do bom nome adquirido pelo FLAMENGO nos seus 123 anos de profícua história desportiva e social.

O FLAMENGO, iniludivelmente, sofreu "... ataque à sua honra objetiva, pois goza de uma reputação junto a terceiros, passível de ficar abalada por atos que afetam o seu bom nome no mundo civil ou comercial onde atua." (STJ, 4ª T., REsp 60.033-2-MG, rel. Min. Ruy Rosado de Aguiar, j. 9.8.1995, DJ 27.11.1995).

É cediço que, no Brasil, pessoas lutam por cargos, mas na hora dos ônus de uma tragédia, imputem ao acaso e/ou a terceiros responsabilidades, cujas atribuições lhes pertencem, justamente por serem eleitos ou nomeados para exercerem o comando.

O GRUPO VANGUARDA RUBRO-NEGRA tem consciência da gravidade do momento porque passa o Conselho Diretor e todos os conselheiros e torcedores, e procura agir com prudência com o fito de ajudar o FLAMENGO a voltar a seus dias de glória, mas como Grupo propositivo, não pode se omitir em sugerir a instauração de Comissão de Inquérito para satisfazer os anseios de todos os rubro-negros e da sociedade em geral em saber da verdade, com a certeza de que, assim procedendo, o FLAMENGO sairá mais fortalecido como instituição.

Por oportuno, e para evitar especulações políticas, o GRUPO VANGUARDA RUBRO-NEGRA afirma, desde já, que não indicará nenhum de seus membros para participar da referida Comissão.

Saudações Rubro-Negras,

Marcelo Vargas Vanderlei Lins

Coordenador

Esporte