PUBLICIDADE
Topo

Zagueiro é apresentado no Flu e se emociona: 'Estava perto de desistir'

Fluminense
Imagem: Fluminense

05/03/2019 17h45

Treinando há cerca de duas semanas no Fluminense, o zagueiro Nino foi apresentado no CT do clube nesta terça-feira. Indicado por Fernando Diniz, ele se emocionou ao falar do apoio da família e do momento em que quase desistiu de jogar futebol, enquanto estava na base do Mogi Mirim, de São Paulo.

"Sou jogador de 21 anos, de Recife, saí de lá muito cedo para jogar no Mogi Mirim, em São Paulo. Muitas vezes pensei em desistir, estava disposto a isso. Já tinha colocado na minha cabeça, e se não fosse meu pai, o apoio da minha família, e Deus na minha vida, hoje eu não estaria aqui", disse, quase chorando.

"Há cinco anos estava no sub-17 e não estava sendo relacionado para os jogos no Mogi Mirim, estava triste, querendo desistir do meu sonho de infância, e a força da minha família para continuar. Eu estar aqui hoje é pelo apoio da minha família. Me emociona porque realmente eu estava muito perto de desistir", completou.

O defensor de 21 anos estava no Criciúma e foi um dos destaques da Série B do ano passado. Nino falou sobre a felicidade por chegar ao Tricolor. O vínculo de empréstimo vai até o fim de 2019.

"Chego muito feliz, motivado. Sei da qualidade dos jogadores que já estão no elenco, mas time grande é assim. Precisamos mostrar nosso valor todos os dias, nosso potencial para encontrar a vaga e o espaço. Chego muito feliz, em um grande clube do Brasil. É um sonho que realizo e não só eu sonhei, mas toda minha família. Estou representando esse sonho e quero fazer meu melhor."

Veja outros trechos da coletiva:

Tempo antes de ser apresentado

Claro que tem uma ansiedade. É um momento especial para os jogadores, todos sonham com a apresentação. Demorou um pouco, mas é um prazer estar aqui, treinar com meus companheiros e aproveitei esse tempo para me adaptar ao estilo de jogo e melhorar fisicamente.

Características

Foram números bem importantes. Tenho que agradecer ao Mazola Júnior, treinador do Criciúma, que me ajudou muito. Eu me considero um jogador técnico, com uma boa velocidade, mas um jogador que se entrega, com raça e com vontade. A torcida pode esperar isso de mim. Sempre vou fazer o meu melhor. Muito trabalho e muita disposição para que na hora do jogo dê tudo certo

Indicação de Diniz

Me deixa feliz, mostra que o meu trabalho tem sido reconhecido, que tenho a confiança do treinador, mas sem trabalho nada acontece. Tem várias competições, uma hora a oportunidade vai surgir, e a gente tem de estar preparado. Creio que o Flu chegará bem nas competições. Temos de ter um grupo em alto nível e é para isso que vamos trabalhar.

Esporte