PUBLICIDADE
Topo

Corinthians valoriza passes no Paulistão, mas é pouco efetivo

05/03/2019 08h05

O Corinthians está próximo de se classificar para as quartas-de-final do Paulistão, mas o sinal de alerta do técnico Fábio Carille continua ligado a cada dificuldade que a equipe deixa transparecer nos jogos. Além do problema com as bolas aéreas, o Timão tem se mostrado pouco efetivo quando o assunto é converter a superioridade da posse de bola que tem em gols.

De acordo com as estatísticas do site Footstats, o Alvinegro é o segundo time que mais precisa tocar a bola para conseguir balançar as redes. Com o total de 4.203 passes no campeonato, os jogadores precisam de 525 deles para marcar um gol - atrás somente do lanterna São Bento, com 696.

Tal limitação ofensiva interfere diretamente nas finalizações. Com a média de 0.9 gol por jogo, o Corinthians necessita de 9.88 chutes para comemorar. Ou seja, em 79 tentativas em direção à meta adversária, o time de Carille acertou apenas 25, um aproveitamento de 31,6%. O que explica o fato de o time ter feito somente oito gols em nove jogos.

Hoje muito mais econômico, o Corinthians teve números melhores em comparação à edição passada do Estadual, quando terminou a primeira fase com 17 gols anotaddos. Já em 2017, quando sagrou-se campeão brasileiro, foi o quarto time que mais balançou as redes - com 50 gols marcados, atrás de Palmeiras (61), Grêmio (55) e Atlético-MG (52).

E como se não bastasse, o Timão ainda pode perder peça fundamental no ataque: o centroavante Gustagol. O jogador passará por exames nesta terça-feira e ainda é dúvida para o clássico. Carille torce para não perder o seu homem-gol.

Esporte