PUBLICIDADE
Topo

Botafogo de janeiro ou de fevereiro? Qual será o verdadeiro Fogão no ano?

03/03/2019 08h15

O mês de março não começou nada bem para o Botafogo. A equipe foi derrotada pelo Volta Redonda por 1 a 0, em jogo válido pela segunda rodada da Taça Rio. O resultado complicou a situação do Glorioso no Campeonato Carioca.

Com apenas cinco pontos no competição, está a nove do Fluminense, que ocupa a quarta colocação na classificação geral. Faltando quarto rodadas para o fim do segundo turno, o título começa a surgir como única opção para disputar as semifinais do Estadual.

Além do resultado negativo, o baixo rendimento e a pouca criação foram aspectos muito negativos na partida. O Botafogo jogou mal, produziu muito pouco ofensivamente e quase não assustou o Volta Redonda.

Com isso, uma dúvida começa a pairar na cabeça do torcedor. Qual será o verdadeiro Botafogo em 2019? Aquele que teve um janeiro péssimo? Ou o que terminou fevereiro sem perder uma partida?

PRIMEIRO MÊS PARA ESQUECER

O ano começou da pior maneira para o Botafogo. Em quatro partidas disputadas na Taça Guanabara, foram três derrotas e um empate na competição. Entre os resultados negativos nesse período, um 2 a 1 para o Flamengo. A equipe acabou sendo eliminada da competição na fase de grupos.

Com atuações abaixo da média e pouquíssimo poder de reação, a equipe de Zé Ricardo parecia não encontrar uma luz no fim do túnel. Além da derrota no clássico, o Alvinegro perdeu para a Cabofriense por 3 a 1, empatou com o Bangu em 0 a 0, e também foi derrotado pelo Resende por 1 a 0. Apenas dois gols marcados e seis sofridos em janeiro.

As alterações em relação ao ano de 2018 não estavam se encaixando e a equipe não conseguia praticar um bom futebol. O trabalho seria longo pela frente.

FEVEREIRO INVICTO

O mês virou e o futebol do Botafogo também. Já eliminado da Taça Guanabara, a equipe iniciou fevereiro goleando o Boavista por 3 a 0. Gustavo Ferrareis, Erik e Jonathan fizeram os gols da vitória.

Na sequência, vieram os principais desafios nesse primeiro semestre: Copa Sul-Americana e Copa do Brasil. Na competição continental, o Glorioso enfrentou o Defensa y Justicia, equipe argentina que vem surpreendendo no país e disputa o título nacional. Na ida, 1 a 0 no Nilton Santos. No jogo de volta, 3 a 0 fora de casa e classificação garantida.

Pela Copa do Brasil, o Alvinegro não teve dificuldades para avanças pelas duas primeiras fase. Vitória por 2 a 0 contra o Campinense fora de casa e mais uma goleada por 3 a 0 no ano, dessa vez contra o Cuiabá.

A outra partida no mês de fevereiro foi o clássico contra o Vasco, pela primeira rodada da Taça Rio. O time não fez um grande jogo. Após sair atrás do placar no primeiro tempo, reagiu e conseguiu o empate com gol de Marcelo Benevenuto.

Em fevereiro foram seis jogos disputados, com cinco vitórias e um empate. A defesa, que antes era a grande preocupação no início do ano, sofreu apenas um gol nesse período. Mesmo com a saída de Joel Carli, que passou por uma cirurgia no joelho direito, as atuações do sistema defensivo não caíram de produção. Marcelo Benevenuto o substituiu muito bem.

Mas o grande destaque dessa arrancada foi o atacante Erik. O camisa 11 marcou seis gols em seis partidas e se tornou o principal jogador botafoguense.

ALERTA LIGADO!

Embalados pelo fevereiro invicto, os botafoguenses esperavam uma atuação parecida contra o Volta Redonda, na primeira partida pelo mês de março. Mas não foi isso que se viu.

Com algumas alterações no time titular, a equipe de Zé Ricardo não estava inspirada e deixou muito a desejar. Muitos erros de passe, pouquíssimas chances criadas e uma estrela apagada.

Erik não foi o mesmo jogador que encantou a todos no último mês. Deslocado no início do jogo para atuar como um 9, não se sentiu à vontade, e mesmo após voltar a atuar pelo lado do campo, pouco ameaçou o gol de Douglas Borges.

Sem conseguir criar jogadas, a alternativa foi alçar bola na área, mas sem nenhum êxito.

A atuação pobre e o risco real de ficar fora das semifinais do Campeonato Carioca, fazem o torcedor botafoguense se preocupar em relação ao futuro da equipe em 2019.

O Botafogo daqui pra frente será aquele time apagado e sem inspiração de janeiro? Ou vai seguir encantando a torcida com boas atuações e vitórias convincentes, como em fevereiro?

Esporte