Topo
Notícias

S&P 500 e Nasdaq atingem máximas recordes, Nvidia lidera ganhos de megacaps

10/07/2024 11h37

Por Lisa Pauline Mattackal e Ankika Biswas

(Reuters) - O Nasdaq e o S&P 500 atingiram máximas recordes nesta quarta-feira, com a força da Nvidia e de outras megacaps sustentado a sequência de ganhos em Wall Street, que será testada por dados de inflação e pelos balanços do segundo trimestre nesta semana.

A Nvidia saltava 1,3%, atingindo um pico de quase três semanas, enquanto a Micron Technology, a Advanced Micro Devices e a ON Semiconductor subiam cerca de 1%, impulsionando o índice SE Semiconductor para um recorde.

As ações listadas nos EUA da Taiwan Semiconductor Manufacturing Co tinham alta de 2,5% depois que a fabricante de chips divulgou uma receita superior ao esperado no segundo trimestre.

Das chamadas ações "Magnificent Seven", a Alphabet e a Microsoft subiam 1% e 0,5%, respectivamente. A Apple também avançava 1%, atingindo um pico recorde, já que os rendimentos dos Treasuries caíam.

O S&P 500 e o Nasdaq atingiram seus quintos recordes intradiários consecutivos depois que as expectativa de um corte na taxa de juros em setembro receberam impulso do chair do Federal Reserve, Jerome Powell, que disse que os EUA "não são mais uma economia superaquecida".

Embora Powell tenha evitado se comprometer com um cronograma para os cortes em seu depoimento ao Congresso na terça-feira, ele agora comparece ao Comitê de Serviços Financeiros da Câmara para mais questionamentos dos parlamentares.

O foco agora se voltará para os dados de inflação ao consumidor na quinta-feira e para o relatório de preços ao produtor na sexta.

A temporada de balanços do segundo trimestre, que começa esta semana com grades bancos divulgando relatórios na sexta-feira, será um teste importante para saber se as megacaps podem justificar as avaliações elevadas e continuar em alta.

O Dow Jones caía 0,04%, a 39.276,80 pontos. O S&P 500 tinha alta de 13,51 pontos, ou 0,24%, a 5.590,49 pontos, enquanto o Nasdaq Composite avançava 78,96 pontos, ou 0,43%, a 18.508,25 pontos.

Notícias