Topo
Notícias

Marçal diz que entrou na disputa em SP por não haver 'gente à altura'

do UOL

Do UOL, em São Paulo

10/07/2024 16h38Atualizada em 11/07/2024 08h32

O pré-candidato a prefeito de São Paulo pelo PRTB, Pablo Marçal, afirmou nesta quarta-feira (10), na sabatina UOL/Folha, que não quer disputar o comando da cidade para "entrar no sistema".

O que aconteceu

Marçal disse que se viu obrigado a entrar na corrida por não haver "gente à altura". "Eu não quero entrar no sistema. Eu quero colocar pessoas que não se curvam a esse tipo de sistema. O sistema não é a lei, é o modus operandi que o político toca a política. São tantas alianças que ninguém deixa gente boa disputar. Se tivesse gente à altura, com mentalidade, querendo tirar o povo de verdade da miséria, não com proselitismo, com barganhas eleitoreiras, eu jamais ia mexer com isso", afirmou, ao citar que o deputado federal Ricardo Salles renunciou à pré-candidatura por pressões do PL.

O pré-candidato disse ainda que não vai doar o salário como empresário caso eleito para não fazer manobra eleitoreira. Ele criticou o atual prefeito Ricardo Nunes (MDB) pela relação com o ex-governador João Doria (PSDB). "Eu não quero dizer que vou dar (salário) pra fazer manobra eleitoreira. O Doria é da turma do Nunes. Se ele fez isso (doar salário), eu já não vou fazer em homenagem a não seguir o caminho dele

Quem é Pablo Marçal

Empresário e influenciador, Marçal deverá concorrer pela segunda vez a um cargo público. Em 2022, ele tentou disputar a Presidência da República pelo Pros, mas o partido cancelou a candidatura e apoiou o presidente Lula (PT). Marçal, então, concorreu a deputado federal por São Paulo e teve 243 mil votos, mas o registro foi negado pela Justiça Eleitoral.

Marçal foi anunciado no final de maio como pré-candidato a prefeito pelo PRTB. Desde que se colocou na disputa, ele já se reuniu com o ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), em Brasília, mas negou ter pedido apoio dele. Na mesma semana, Marçal teve um embate no Congresso com o deputado Guilherme Boulos (Psol-SP), adversário dele na corrida pela prefeitura de São Paulo.

O empresário apareceu empatado em 3º lugar na pesquisa mais recente do Datafolha, divulgada no dia 8. O candidato do PRTB marcou 10%, empatado tecnicamente com José Luiz Datena (PSDB), com 11%, Tabata Amaral (PSB), com 7%, e Marina Helena (Novo), com 5%. Ficaram à frente deles o prefeito Ricardo Nunes (MDB), com 24%, e Boulos (PSOL), com 23%. A margem de erro da pesquisa é de três pontos percentuais para mais ou para menos.

Próximas sabatinas

O UOL e o jornal Folha de S.Paulo promovem sabatinas com pré-candidatos à Prefeitura de São Paulo. Na sexta (12), às 10h, será a vez do deputado Guilherme Boulos (PSOL). No dia 15, o prefeito Ricardo Nunes (MDB), que tenta a reeleição, participa da sabatina às 10h. José Luiz Datena (PSDB) é o entrevistado do dia 16, também às 10h.

Ao todo, o UOL e a Folha vão promover sabatinas com candidatos à prefeitura de 17 cidades do país. Já aconteceram as entrevistas com Fuad Noman (PSD) e Rogério Correia (PT), em Belo Horizonte; Bruno Reis (União) e Kleber Rosa (PSOL), em Salvador; com João Campos (PSB), Gilson Machado (PL) e Daniel Coelho (PSD), no Recife.

Ainda acontecerão as sabatinas com candidatos a 13 prefeituras: Rio de Janeiro, Maceió, Manaus, Fortaleza, Curitiba, Guarulhos, São Bernardo, Santo André, Osasco, Campinas, Sorocaba, Ribeirão Preto e São José dos Campos.

Errata: este conteúdo foi atualizado
Diferentemente do que informava a matéria, Marina Helena é do Novo, e não da Rede. O texto foi corrigido.

Notícias