Topo
Notícias

Equipe de segurança da vice-presidente da Colômbia é alvo de tiros; ataque não deixa vítimas

Francia Márquez, a primeira vice-presidente negra eleita na Colômbia, eleita em 2022 - Karen Gómez/Vice-presidência da Colômbia
Francia Márquez, a primeira vice-presidente negra eleita na Colômbia, eleita em 2022 Imagem: Karen Gómez/Vice-presidência da Colômbia

10/07/2024 19h41Atualizada em 10/07/2024 19h51

O veículo principal do esquema de segurança da vice-presidente da Colômbia, Francia Márquez, "foi atingido por um projétil" nesta quarta-feira (10) sem deixar vítimas, informou ela própria, acrescentando que não estava no veículo no momento do incidente.

"Fui informada pela minha equipe de segurança e proteção que o veículo principal da caravana vice-presidencial, no qual normalmente me desloco, foi atingido por um projétil, aparentemente de fuzil (...), que penetrou no interior do veículo sem causar qualquer lesão aos ocupantes", indicou Márquez em comunicado.

O ataque ocorreu no sudoeste do país, próximo ao município de Suárez, de onde a vice-presidente é natural. Dissidentes rebeldes do acordo de paz assinado em 2016 com as Farc controlam rotas de tráfico de drogas nesta região.

"Desta vez, não temos nenhum fato a lamentar, mas não posso deixar de expressar minha enorme preocupação pelo (departamento de) Cauca e pela tensão permanente que minha gente está vivendo todos os dias em toda a região", acrescentou no comunicado.

Em junho, o pai da vice-presidente e um sobrinho de seis anos foram alvos de tiros na mesma área enquanto viajavam em um carro com escolta. Ambos saíram ilesos.

No início de 2023, Márquez denunciou em duas ocasiões que a polícia encontrou explosivos nas rotas por onde ela passaria.

Antes de chegar ao poder em 2022 com o presidente Gustavo Petro, Márquez foi ativista ambiental em seu departamento natal, Cauca. Lá, sobreviveu a um atentado a tiros de fuzil.

Petro, o primeiro presidente de esquerda da história da Colômbia, avança em diálogos de paz com dissidentes das Farc e rebeldes do ELN, com o objetivo de colocar fim a seis décadas de conflito armado.

Notícias