Topo
Notícias

'Minha vida mudou totalmente após comer X-burguer e ter infecção alimentar'

do UOL

Simone Machado

Colaboração para VivaBem, em São José do Rio Preto (SP)

10/07/2024 04h07Atualizada em 10/07/2024 14h52

A publicitária Nara Gregorini, 24, foi diagnosticada com gastroparesia há um ano. Ela conta que a doença intestinal surgiu após ela contrair infecção alimentar ao comer um lanche.

Por causa da doença, a jovem chegou a perder 13 quilos e precisou mudar radicalmente a alimentação. A VivaBem, ela conta sua história.

"Em março de 2022, fui a um restaurante em São Paulo (SP), que estava sendo bastante comentado nas redes sociais. Chegando lá, pedi um X-burguer tradicional, que vem só pão, carne e queijo.

No dia seguinte, acordei passando muito mal, eu mal conseguia ficar em pé e andar. Fui ao hospital e os médicos decidiram me internar para fazer exames e ver o que tinha.

Foram feitos diversos exames e os médicos disseram que eu estava com intoxicação alimentar por causa do que comi. E por causa dessa intoxicação estava com infecção no estômago e no intestino.

Fiquei cinco dias internada e quando tive alta ainda não me sentia bem. Vomitava várias vezes ao dia, tinha enjoo e dores abdominais muito fortes. Comecei a ter dificuldades para me alimentar e praticamente toda semana precisava retornar ao hospital para ser medicada. Pesava 58 quilos e passei a pesar 45.

Sem saber exatamente o que tinha, comecei a ir a diversos médicos em busca de um diagnóstico. Fui a mais de cinco profissionais, fiz diversos exames e ninguém descobria o que causava tantas dores abdominais e os vômitos constantes.

Doença exige dieta rigorosa

nara - Arquivo Pessoal - Arquivo Pessoal
Por causa da doença, Nara chegou a perder 13 quilos
Imagem: Arquivo Pessoal

Depois de um ano nessa busca, em março de 2023, após fazer um exame que chama cintilografia gástrica, recebi o diagnóstico de gastroparesia que foi desenvolvida como resultado dessa intoxicação alimentar que contraí ao comer o lanche.

Essa condição faz com que meu estômago não digira os alimentos da forma correta. Se uma pessoa leva duas horas para digerir uma refeição, eu demoro cinco, por exemplo.

Por isso, precisei passar por dietas bem rigorosas, em que não podia comer glúten, lactose e carne vermelha.

Na verdade, a dieta correta que deveria seguir para não ter mais dores, segundo os médicos, seria ingerir apenas alimentos pastosos e líquidos, mas é muito difícil porque não consigo ficar sem comer alimentos sólidos, e isso faz com que passe muito mal e tenha episódios de vômitos todos os dias.

Sigo uma alimentação muito saudável. Não posso comer nada que tenha gordura, doce e fritura. Para ter uma qualidade de vida um pouco melhor, tomo remédios antes de cada refeição para tentar ajudar na digestão.

Minha vida mudou totalmente desde que comi aquele lanche. Ainda vou bastante ao hospital, então chega a ser bem cansativo porque toda semana, pelo menos um dia, tenho que ir ao hospital por estar em uma crise.

Sinto falta de comer o que gostava, como pastel e batata frita, e sei que são coisas que nunca mais vou poder comer."

O que é gastroparesia?

A gastroparesia, também chamada de síndrome de atraso no esvaziamento gástrico, é um quadro gástrico em que o estômago do paciente não consegue fazer os movimentos de maneira correta ou até mesmo paralisa os movimentos naturais do órgão.

Isso acontece devido a danos no nervo vago ou nos músculos do estômago. Sem esses movimentos naturais, os alimentos ficam por mais tempo no estômago, sem seguir para o intestino.

"É o que a gente chama de alteração funcional. É uma alteração na movimentação, na motilidade do estômago que faz com que o órgão fique mais parado e o alimento não saia de dentro dele para seguir seu trânsito normal no corpo", explica Debora Poli, gastroenterologista do Hospital Sírio-Libanês (SP).

Os principais sintomas da doença são:

  • náuseas
  • enjoo
  • vômitos
  • sensação de estômago cheio constante
  • acúmulo de gases
  • desconforto abdominal

A condição é mais comum em pacientes com diabetes mellitus tipo 1 e tipo 2, com doenças neurológicas como Parkinson e pessoas acamadas. Entre as suas causas está o uso de medicamentos e infecções.

"Das causas mais comuns são infecções virais, como intoxicação alimentar ou covid-19, por exemplo, ou causada por medicamentos, sendo muito comum em medicações para perda de peso. Também outras doenças podem causar gastroparesia, como gastrite e neuropatias", explica Fernando Seedelder Flaquer, gastroenterologista do Hospital Albert Einstein (SP).

O tratamento é feito com medicamentos indicados pelo gastroenterologista, que variam de pessoa para pessoa, além de alimentação adequada, para evitar possíveis complicações que possam afetar a qualidade de vida do paciente.

"O tratamento envolve mudanças na dieta, medicamentos para estimular o esvaziamento do estômago, terapia nutricional e, em casos graves, procedimentos endoscópicos ou cirurgia. A gastroparesia geralmente é tratável, mas nem sempre curável", explica Rogério Pinheiro Alves, gastroenterologista da BP - A Beneficência Portuguesa de São Paulo.

Notícias