Topo
Notícias

Perda de olfato está ligada a Alzheimer precoce e outras doenças mentais

iStock
Imagem: iStock
do UOL

Colaboração para VivaBem*

09/07/2024 14h47

Talvez você tenha perdido o olfato na época em que a covid-19 estava em alta, mas a função olfativa também é diminuída em doenças neurodegenerativas, como Parkinson e Alzheimer.

A capacidade reduzida de detectar odores pode sinalizar menos regeneração ou reparação de células do corpo em geral. Estudos afirmam que esse sintoma também pode ser sinal de outras desordens mentais.

Nos Estados Unidos, por exemplo, cerca de 11% dos americanos com mais de 50 anos têm problemas para sentir cheiros, e esse número aumenta para 39% entre aqueles com mais de 80 anos.

Quando o olfato diminui, a saúde mental também pode ser afetada, incluindo piora da memória, cognição e bem-estar geral.

Como treinar o olfato?

Incapacitados de sentir cheiros, muitos pacientes ficam deprimidos. Mas o nariz pode aprender. Não se sabe desde quando a técnica de treinamento olfativo já existe, mas clinicamente ela tem sido usada há mais de uma década.

Em um estudo de 2022, idosos com depressão treinaram seus narizes por vários meses e viram seus sintomas diminuírem, especialmente aqueles que tinham problemas anteriores de olfato.

Já um estudo menor, de 2021, com pacientes com demência verificou que o treinamento do olfato não só melhora a depressão, mas também ajuda a recordar palavras mais rapidamente.

A reabilitação consiste basicamente em inalar diferentes odores, concentrando a mente, pelo menos duas vezes ao dia. "Tem que ser todos os dias, e são inalações curtas, mais ou menos de 20 segundos", explica Portillo Mazal, otorrinolaringologista e especialista em olfato e paladar.

Geralmente, quatro frascos com cheiros diferentes são usados em cada exercício. Rosa, limão, cravo e eucalipto, mas outras substâncias podem ser incluídas.

Mazal faz com que seus pacientes preparem seus próprios kits. "Tenho duas variantes. Uma é com óleos, que podem ser de frutas, flores, hortelã-pimenta, ou coisas como lavanda, tomilho ou cravo. Os pacientes põem cerca de 40 gotas em um algodão ou em um pedaço de papel, repetindo o procedimento de vez em quando".

Um aspecto fundamental do treinamento é fazer os exercícios com grande foco. "Você tem que estar completamente focado naquele minuto e meio de exercícios, sem pensar no que você tem que fazer naquele dia", diz Portillo Mazal.

Também é recomendável evocar memórias. Ao abrir a garrafa com óleo de limão, por exemplo, mesmo que não sinta cheiro algum, feche os olhos e lembre-se de todos os detalhes de quando cheirou ou comeu um limão. E você deve estar atento a qualquer mensagem olfativa que perceber, mesmo que não seja a esperada.

*Com informações de reportagem publicada em 21/09/2020

Notícias