Topo
Notícias

Furacão Beryl deixa 18 mortos após passagem pelos EUA

09/07/2024 14h18

Pelo menos oito pessoas morreram nos Estados Unidos na passagem de Beryl, um furacão que já havia sido rebaixado a ciclone subtropical nesta terça-feira (9) e que anteriormente causou outras dez vítimas no Caribe.

No Texas, onde Beryl tocou o solo como furacão de categoria 1 na manhã de segunda-feira, pelo menos sete pessoas morreram pela queda de árvores, por um incêndio causado por raios e inundações.

Três das mortes ocorreram no condado de Montgomery, vizinho à cidade de Houston, segundo informações divulgadas na noite de segunda-feira pelas autoridades locais, citadas pela imprensa. Outras quatro já haviam sido relatadas na região de Houston, cidade de 2,3 milhões de habitantes que estava próxima da trajetória de Beryl.

O fenômeno climático, que depois de atingir o Texas deslocou-se para nordeste no território americano, provocou mais uma morte na cidade de Benton, na Louisiana, informou uma autoridade local.

Estas oito vítimas juntam-se às outras dez que Beryl deixou na semana passada durante a sua passagem pelo Caribe: três em Granada, duas em São Vicente e Granadinas, três na Venezuela e duas na Jamaica.

A Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (USAID) anunciou que vai entregar 4,5 milhões de dólares (cerca de 24,5 milhões de reais) em ajuda humanitária para São Vicente e Granadinas, Jamaica e Granada.

- Altas temperaturas -

Entre segunda e terça, mais de 1.400 voos foram cancelados no Aeroporto Intercontinental George Bush em Houston, segundo o site FlightAware, devido ao mau tempo que afetou a região.

Nesta terça, 1,86 milhão de pessoas no Texas continuavam sem eletricidade devido a danos na rede de transmissão, segundo o portal poweroutage.us. Outros 9.500 clientes também estavam sem energia na Louisiana, segundo a última atualização.

Enquanto as equipes trabalhavam para restabelecer o serviço, várias cidades instalavam abrigos climatizados, pois são esperadas altas temperaturas com sensações térmicas em torno de 41°C, de acordo com o Serviço Meteorológico Nacional (NWS, na sigla em inglês).

"A maior preocupação neste momento são os cortes de energia e o calor extremo que estão afetando os texanos", afirmou o presidente Joe Biden em uma declaração.

Há uma semana, Beryl se tornou um poderoso furacão com ventos de 250 km/h que atingiram o Caribe. Depois, foi rebaixado para tempestade tropical na sexta-feira, após tocar o solo na Riviera Maia (México), onde provocou danos materiais. Contudo, no domingo à noite, voltou a ganhar força ao se deslocar para os Estados Unidos.

Beryl tocou o solo como furacão na segunda-feira na cidade costeira de Matagorda, Texas, com ventos de 130 km/h, causando destruição e inundações em alguns balneários da região. Após atingir áreas próximas a Houston, perdeu força enquanto avançava pelo território americano.

Nesta terça-feira, Beryl já era um ciclone pós-tropical e se movia para nordeste, rumo ao Canadá, com ventos de 45 km/h. Ainda pode gerar chuvas, inundações repentinas e tornados em áreas de Mississippi e Ohio, de acordo com um relatório do Centro Nacional de Furacões dos Estados Unidos (NHC, na sigla em inglês).

mav/val/ag/aa/dd/rpr/am

© Agence France-Presse

Notícias