Topo
Notícias

Sonda chinesa retorna à Terra com as primeiras amostras do lado distante da Lua

São Paulo

25/06/2024 09h23

A sonda espacial chinesa Chang'e 6 retornou à Terra nesta terça-feira, 25, com amostras de rocha e solo do lado distante da Lua, pouco explorado, em um fato inédito no mundo. A sonda aterrissou na terça-feira no local predeterminado, na região da Mongólia Interior. e a missão foi um "sucesso completo", disse a agência espacial chinesa. Devido à sua complexidade, esse foi um dos projetos aeroespaciais mais ambiciosos já realizados pela China.

"Declaro agora que a Missão de Exploração Lunar Chang'e 6 foi totalmente bem-sucedida", disse Zhang Kejian, diretor da Administração Espacial Nacional da China, em uma entrevista coletiva televisionada após o pouso.

Os cientistas chineses preveem que as amostras devolvidas incluirão rocha vulcânica de 2,5 milhões de anos e outros materiais que, segundo eles, responderão a perguntas sobre diferenças geográficas nos dois lados da Lua.

O lado próximo é o que é visto da Terra, e o lado distante está voltado para o espaço sideral. Sabe-se também que o lado mais distante tem montanhas e crateras de impacto, em contraste com as extensões relativamente planas visíveis no lado mais próximo.

Embora missões anteriores dos EUA e da União Soviética tenham coletado amostras do lado próximo da Lua, a missão chinesa foi a primeira a coletar amostras do lado distante.

O programa lunar faz parte de uma rivalidade crescente com os EUA - ainda líder em exploração espacial - e outros países, incluindo Japão e Índia. A China colocou sua própria estação espacial em órbita e envia tripulações regularmente para lá.

O líder da China, Xi Jinping, enviou uma mensagem de felicitações à equipe da Chang'e, dizendo que se tratava de uma "conquista histórica nos esforços de nosso país para se tornar uma potência espacial e tecnológica".

A sonda deixou a Terra em 3 de maio e sua jornada durou 53 dias. A sonda perfurou o núcleo e coletou rochas da superfície.

Espera-se que as amostras "respondam a uma das questões científicas mais fundamentais da pesquisa científica lunar: qual atividade geológica é responsável pelas diferenças entre os dois lados?", disse Zongyu Yue, geólogo da Academia Chinesa de Ciências, em um comunicado publicado na Innovation Monday, revista publicada em parceria com a Academia Chinesa de Ciências.

Nos últimos anos, a China lançou várias missões bem-sucedidas à Lua, coletando amostras do lado próximo da Lua com a sonda Chang'e 5.

Eles também esperam que a sonda retorne com material que contenha traços de impactos de meteoritos do passado da Lua.

Com a reentrada bem-sucedida da sonda, os cientistas começarão a estudar as amostras. (COM AGÊNCIAS INTERNACIONAIS)

Notícias