Topo
Notícias

Roubo em aeroporto: Dupla é ligada ao PCC e a homem mais procurado do país

Dois membros da quadrilha envolvida no mega-assalto na noite de quarta-feira (19) a um carro-forte com R$ 30 milhões no aeroporto de Caxias do Sul, na Serra Gaúcha, têm envolvimento com PCC e com criminoso mais procurado do país, indicam investigações do caso.

O que aconteceu

Um dos suspeitos presos por envolvimento no mega-assalto em aeroporto do RS é líder do PCC, diz a Polícia Civil. Escutas telefônicas obtidas pelo Seccold (Setor de Combate aos Crimes de Corrupção, Crime Organizado e Lavagem de Dinheiro) de São José dos Campos (SP) com autorização da Justiça indicam que Adriano Pereira de Souza, 34, conhecido como Cigano, era um dos líderes da facção criminosa paulista em SP. Ele foi preso na sexta-feira (14) com outros dois comparsas em ação em conjunto entre a PRF e a polícia gaúcha.

Polícia Civil indica atuação de suspeito preso em compra de pontos do tráfico em São José dos Campos (SP). Com base nas escutas telefônicas, os investigadores conseguiram indicar a transação com o aval de outras lideranças da facção. Ainda conforme a apuração de agosto de 2020, ele tinha cargo de liderança no tráfico de drogas em Guarulhos, região metropolitana São Paulo.

Condenação por tráfico e uso de documento com nome falso. Adriano foi condenado por tráfico de drogas e era considerado foragido da Justiça. Ele conseguiu escapar das autoridades ao usar documento com um nome falso. Adriano também é investigado pelo crime de lavagem de dinheiro envolvendo parentes dele e empresários de São José dos Campos (SP), indica a investigação.

Investigado por suspeita de aliança com facção criminosa do Rio de Janeiro. Adriano chegou a ser preso em maio de 2021 na capital fluminense por articular uma suposta aliança entre o PCC e o TCP (Terceiro Comando Puro). Segundo as investigações, ele negociou o fornecimento de armas e drogas com Álvaro Malaquias, o Peixão, líder da facção criminosa do Rio. O UOL não localizou a defesa de Adriano.

Vínculos com suspeito mais procurado do país

Líder em mega-assaltos, Márcio do Carmo Pimentel é apontado como um dos criminosos mais procurados do país - Reprodução - Reprodução
Líder em mega-assaltos, Márcio do Carmo Pimentel é apontado como um dos criminosos mais procurados do país
Imagem: Reprodução

Outro suspeito envolvido no mega-assalto ao aeroporto do RS tinha vínculos com o homem mais procurado do país e com o PCC. Silvio Wilton da Costa, 37, que morreu em confronto com os PMs em meio ao assalto ao aeroporto de Caxias do Sul (RS), tinha ligações com Márcio Carmo Pimentel, o Ian, que está na lista dos criminosos mais procurados do país, do Ministério da Justiça e Segurança Pública.

Suspeita de participação em outro ataque a aeroporto. Segundo investigações, Silvio também era suspeito de ter participado do roubo ao aeroporto de Guarulhos (SP), em 2019, quando uma quadrilha usou viaturas clonadas da PF para roubar mais de 700 kg de ouro. O grupo também seria suspeito de outro roubo com uso de explosivos em Eunápolis (BA), no ano anterior, contra uma base da Prosegur.

Criminoso mais procurado do país é apontado como financiador e um dos líderes de ações conhecidas como "domínio de cidades". Com mandados de prisão pendentes por assalto, Pimentel é apontado por investigadores como especialista em uma abordagem mais violenta em relação à tática do "novo cangaço". As ações contam com armamentos de maior poder destrutivo, como explosivos e fuzis, usadas em ataques à polícia. As quadrilhas também costumam fazer moradores reféns.

Como foi o ataque ao aeroporto do RS

Vídeo mostra quadrilha usando armas de grosso calibre, incluindo uma arma .50, fuzil com capacidade para abater um helicóptero. Na ação, houve troca de tiros, deixando um PM e um suspeito mortos. Baleado, o sargento Fabiano Oliveira, 47, não resistiu aos ferimentos.

Dinheiro alvo da ação estava no carro-forte de um banco privado transportado de Curitiba (PR) ao aeroporto Hugo Cantergiani, em Caxias do Sul. O aeroporto é uma das alternativas para viagens ao Rio Grande do Sul após as chuvas do começo de maio que alagaram o aeroporto Salgado Filho, em Porto Alegre.

Polícia conseguiu recuperar metade do valor roubado. O dinheiro estava no veículo onde foi encontrado o corpo de Silvio Wilton da Costa. Quadrilha planejou cometer o crime quando o efetivo da PM havia sido deslocado para o estádio Alfredo Jaconi. Enquanto os criminosos agiam, os agentes priorizavam a estratégia de segurança para partida do Campeonato Brasileiro entre Juventude e Vasco.

Quatro prisões preventivas foram efetuadas até o momento. A mais recente foi feita na noite de segunda-feira (24). O suspeito foi localizado nas proximidades da cidade de Torres (RS) pela Polícia Federal, em ação conjunta com a Brigada Militar e a PRF (Polícia Rodoviária Federal)

Notícias