Topo
Notícias

Dirigente do Fed vê política bem posicionada, mas fala em menor restrição em algum momento

São Paulo

25/06/2024 14h05

São Paulo, 25/06/2024 - A governadora do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) Lisa Cook afirmou nesta terça-feira, 25, que a política monetária atual da autoridade está bem posicionada para responder conforme necessário a alterações, e que, em algum momento, será apropriado reduzir o nível de restrição. Em discurso no Clube Econômico de Nova York, a dirigente apontou que o momento de qualquer ajuste dependerá de como os dados evoluem e o que eles implicam para as perspectivas econômicas e o equilíbrio de riscos.

"Depois da rápida desinflação no segundo semestre do ano passado, o progresso abrandou este ano. O meu foco continua sendo garantir que a inflação esteja no caminho de regressar de forma sustentável aos 2%", afirmou a integrante do Fed. "Espero que a tendência de desinflação a longo prazo continue à medida que as taxas de juro pesam sobre a demanda", indicou Cook.

"A minha previsão é que as taxas de inflação a três e seis meses continuarão a descer numa trajetória acidentada, à medida que a resistência dos consumidores aos aumentos de preços se refletir nos dados", apontou a dirigente. "Espero que a inflação acumulada em 12 meses se mova aproximadamente lateralmente durante o resto deste ano, com dados mensais provavelmente semelhantes às leituras favoráveis do segundo semestre do ano passado", disse Cook.

E afirmou: "Além disso, vejo a inflação a abrandar de forma mais acentuada no próximo ano, com a inflação dos serviços de habitação diminuindo para refletir o abrandamento passado nas rendas de novos arrendamentos, a inflação dos bens básicos permanecendo ligeiramente negativa e a inflação nos serviços básicos, excluindo a habitação, diminuindo ao longo do tempo."

Equilíbrio

Lisa Cook disse também que o mercado de trabalho dos Estados Unidos voltou em grande parte a melhor balanço entre oferta e demanda. No discurso no Clube Econômico de Nova York, a dirigente apontou que, neste cenário, os riscos para atingir as metas de inflação e emprego avançaram a um melhor equilíbrio.

"Com mais trabalhadores entrando na economia, os ganhos mensais de emprego necessários para manter a taxa de desemprego estável provavelmente aumentaram de pouco menos de 100 mil para quase 200 mil", apontou a dirigente. "Embora estas estimativas sejam incertas, esse ritmo de equilíbrio pode ser um pouco superior ao ritmo real dos recentes ganhos de emprego, tendo em conta os dados do Censo Trimestral do Emprego e Salários", ponderou Cook. "Estes dados sugerem que os ganhos no emprego na folha de pagamento foram exagerados no ano passado e podem continuar a ser neste ano. Assim, mesmo os números robustos da folha de pagamento são consistentes com um mercado de trabalho apertado, mas não sobreaquecido", avaliou.

A dirigente espera ainda que o crescimento econômico americano permaneça próximo da taxa de crescimento potencial, um pouco acima de 2%.

Cook vê um sistema financeiro que tem algumas vulnerabilidades, mas também importantes fontes de resiliência e, no geral, não está atualmente posicionado para amplificar de forma incomum qualquer choque futuro. "Um sistema financeiro estável e resiliente é fundamental para o bem-estar das famílias e das empresas, permitindo-lhes o acesso ao crédito, e é essencial para o Fed cumprir o seu duplo mandato de máximo emprego e estabilidade de preços", concluiu.

Notícias