Topo
Notícias

Os grandes desafios olímpicos de Paris-2024: segurança, transportes, clima, Sena

24/06/2024 14h50

A pouco mais de um mês da cerimônia de abertura dos Jogos Olímpicos de Paris-2024, as autoridades finalizam os detalhes da organização deste evento, que receberá milhões de espectadores, e tentam enfrentar desafios de última hora. 

- Transporte público reforçado -

"Não vamos estar prontos" em termos de transporte público, declarou a prefeita de Paris, Anne Hidalgo, em novembro. Mas depois de várias campanhas de contratação em massa e negociações trabalhistas, as autoridades gestoras dos transportes públicos conseguiram uma "melhoria considerável" na "situação geral", garantiu Jimmy Brun, porta-voz da RATP, a empresa que administra a rede parisiense de transporte público. 

A RATP vai mobilizar mais de 40 mil agentes para movimentar trens, ônibus e metrôs entre 26 de julho e 11 de agosto, que vão transportar em média 500 mil espectadores e 200 mil pessoas credenciadas, além de todos os usuários regulares.

O IDFM, que coordena a rede de transportes públicos da região parisiense, elaborou 125 "planos B" em caso de avarias, mudanças de horário para competições olímpicas ou se um dos ônibus de espectadores ficar bloqueado na estrada devido a um acidente, por exemplo.   

Uma das incógnitas sem plano B é o resultado das eleições legislativas de 30 de junho e 7 de julho, que poderão provocar protestos "poucos dias antes dos Jogos", afirma Valérie Pecresse, presidente do IDFM, para quem "as disputas políticas podem espere dois meses".

- Preocupação com o rio Sena -

O grande protagonista dos Jogos Olímpicos é o rio Sena, onde devem ser realizados o desfile náutico da cerimônia de abertura e diversas competições: triatlo (30 e 31 de julho, 5 de agosto), maratona de natação (8 e 9 de agosto) e triatlo adaptado (1º e 2 de setembro). 

Mas nem tudo flui como deveria a um mês da abertura. Com exceção de 9 de junho, os padrões regulamentares de qualidade da água que permitem a natação não foram cumpridos e as autoridades não elaboraram um plano alternativo caso a situação não melhore até às datas das provas.  

O "tempo chuvoso" provocou um "forte caudal do rio que afeta a qualidade da água", explicaram as autoridades locais.  

O ensaio geral da cerimônia de abertura, marcado para esta segunda-feira, foi adiado devido ao forte caudal do rio, cuja força "aumenta matematicamente a velocidade dos barcos", que demorariam "menos 15 minutos" a completar o percurso. 

As autoridades investiram 1,4 bilhão de euros (cerca de R$ 8,1 bilhões pela cotação atual) na limpeza do rio para acolher as competições olímpicas e liberar o banho ao público a partir de 2025.

- Jogos mais sustentáveis? -

Os organizadores de Paris-2024 prometeram "compromissos sem precedentes a favor do clima" e uma redução pela metade das emissões das edições anteriores. 

Para a edição atual, reduziram a pegada de carbono da construção ao utilizar 95% da infraestrutura existente ou temporária. Os deslocamentos representam um terço das emissões previstas.  

A estimativa oficial inicial indicou que os Jogos emitiriam 1,58 milhão de toneladas de CO2, mas os organizadores deixaram de usar os números específicos "que anunciaram com tanto alarde", alerta Martin Müller, professor do Instituto de Geografia e Sustentabilidade da Universidade de Lausanne, para quem "sem objetivos em números não há uma obrigação verificável". 

Os organizadores prometem apoiar projetos de compensação de carbono que evitem ou capturem "a mesma quantidade de emissões de CO2" produzidas pelos Jogos.  

Vários especialistas recomendaram em 2021 "reduzir consideravelmente o tamanho do evento, fazendo com que as mesmas cidades se revezem para sediar os Jogos e estabelecer padrões independentes de sustentabilidade".

- Equipes de segurança quase completas -

As autoridades mobilizarão 45 mil policiais e guardas, assim como 18 mil militares. 

Embora estes "não substituam" a segurança privada, o chefe da polícia de Paris, Laurent Nuñez, especificou que poderiam assumir "certas responsabilidades" durante a cerimônia de abertura, para garantir "o mais alto padrão de segurança". 

O número de seguranças privados necessários durante as semanas de competição vai variar entre 18 mil e 22 mil por dia, segundo o comitê organizador.  

Marc Guillaume, prefeito da região de Paris, afirmou na sexta-feira que 93% das necessidades das empresas de segurança privada já foram atendidas. 

Os organizadores ainda procuravam 400 pessoas para completar as equipes de segurança na noite de abertura dos Jogos no Rio Sena, em 26 de julho, disse Bruno le Ray, chefe de segurança do evento olímpico, na quarta-feira. 

A cerimônia de abertura deveria receber 600 mil espectadores, sendo 100 mil lugares pagos e 500 mil gratuitos abertos a todos, mas por razões de segurança, serão apenas 220 mil lugares livres. A capacidade total será de cerca de 320 mil espectadores.

burs-amp/mcd/aam/aa

© Agence France-Presse

Notícias