Topo
Notícias

Ibovespa recua antes de decisão do Copom e sem referência de NY

19/06/2024 10h51

Por Paula Arend Laier

SÃO PAULO (Reuters) - O Ibovespa recuava nesta quarta-feira, marcada por expectativas para a decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central após o fechamento, em sessão que deve ter o volume reduzido em razão de feriado nos Estados Unidos.

Por volta de 10:40, o Ibovespa tinha variação negativa de 0,4%, a 119.141,99 pontos. O volume financeiro somava apenas 1,4 bilhão de reais.

De acordo com a equipe da Ágora Investimentos, sem a referência de Nova York e com o principal direcionador do dia apenas ao término dos negócios, a tendência é que os ativos locais oscilem entre margens estreitas, sem um viés muito claro.

Em relação à reunião do Copom, eles chamaram a atenção para pesquisas mostrando uma maioria entre economistas estimando manutenção da taxa Selic nos atuais 10,50% ao ano, com uma pequena parcela estimando um corte de 0,25 ponto percentual.

"Portanto, mais importante do que a decisão em si, as atenções estarão voltadas para o placar da decisão", citaram. Na última reunião, o Copom reduziu o ritmo de afrouxamento monetário ao fazer um corte de 0,25 ponto, com placar dividido.

O desfecho do encontro que termina nesta quarta-feira ocorre após novos ataques na véspera do presidente Luiz Inácio Lula da Silva ao titular do BC, Roberto Campos Neto, cujo mandato na instituição termina no final do ano.

Na visão da equipe da Genial Investimentos, é uma reunião "crucial", "que tem o potencial de reverter ou de confirmar a desconfiança dos investidores acerca da condução futura da política monetária".

DESTAQUES

- CSN ON recuava 1,85%, refletindo ajustes, após disparar na véspera, quando o Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu acatar recurso da companhia para reconhecer o direito dela a uma indenização de cerca de 5 bilhões de reais a ser paga pela Ternium referente à entrada desta última na Usiminas. Ainda na terça-feira, a Ternium disse que irá recorrer da decisão.

- BRF ON subia 2,81%, mantendo o tom positivo da véspera, quando fechou com acréscimo de 5,5%. MARFRIG ON, principal acionista da BRF, tinha elevação de 1,99%. Ainda no setor, JBS ON avançava 0,42%, mas MINERVA ON desvalorizava-se 0,79%.

- VALE ON cedia 0,07%, acompanhando o movimento dos futuros do minério de ferro na China, onde o contrato mais negociado na Bolsa de Mercadorias de Dalian encerrou as negociações do dia com queda de 0,36%, a 824 iuanes (113,55 dólares) a tonelada, depois de atingir 835,5 iuanes a tonelada no começo da sessão.

- PETROBRAS PN tinha variação positiva de 0,17%, após forte valorização na véspera, em dia de variação tímida do petróleo Brent no exterior. A companhia também disse ainda na terça-feira que assinou protocolo de intenções com o governo estadual do Rio de Janeiro para estudos a fim de avaliar a viabilidade de um projeto piloto de energia eólica offshore.

- ITAÚ UNIBANCO PN caía 0,6%, em sessão de evento online com executivos do banco. BRADESCO PN perdia 1,13%.

Notícias