Topo
Notícias

Após escavações, antiga praia de Herculano é aberta ao público

19/06/2024 14h01

ERCOLANO, 19 JUN (ANSA) - Após anos de escavações, a antiga praia de Herculano, na Itália, foi aberta ao público pela primeira vez. No local, cerca de 300 pessoas tentaram, sem sucesso, fugir da erupção do vulcão Vesúvio que devastou a cidade e sua "irmã" mais famosa, Pompeia, em 79 depois da Era Comum.   

O projeto de recuperação foi realizado pelo Parque Arqueológico através de uma parceria público-privada com o Packard Humanities Institute e um financiamento do CIS Vesuvio.   

A inauguração contou com a presença de diversos grupos de turistas e visitantes. No médio prazo, está prevista a recuperação da faixa de areia daquele período, permitindo passeios a pé pela costa, com um percurso inédito até hoje até a Villa dei Papiri. Assim, as duas áreas da antiga Herculano poderão voltar a ser conectadas como eram no período pré-erupção.   

A praia foi parcialmente escavada no início da década de 1980, quando o fronte da cidade para o mar foi revelado. No entanto, os trabalhos foram encerrados.   

Nos últimos anos, o local foi alvo de corrosão e degradação devido a fatores naturais, mas a situação foi mitigada pelos trabalhos de restauro.   

Os visitantes já podem se aproximar, por exemplo, dos arcos onde estão os esqueletos das pessoas que tentaram fugir durante a erupção, mas não conseguiram se salvar pelo mar.   

"Acreditamos em criar, relembrar, dar potência a esta área que teve seu valor reconhecido até pela Unesco e que é uma das áreas arqueológicas mais importantes do mundo. Temos convicção de que isso representará uma oportunidade de desenvolvimento socioeconômico", disse o ministro da Cultura, Gennaro Sangiuliano.   

Segundo estudos, Herculano foi destruída cerca de 12 horas depois de Pompeia e ficou embaixo de cerca de 20 metros de lava.   

Os trabalhos de escavação também começaram mais tarde, por volta do século 18, porque uma cidade de mesmo nome foi reconstruída rapidamente perto da área antiga. (ANSA).   

Veja mais notícias, fotos e vídeos em www.ansabrasil.com.br.

Notícias