Topo
Notícias

Fitch mantém previsão para PIB do Brasil e projeta Selic a 10,25% no fim deste ano

São Paulo

17/06/2024 16h23

A Fitch Ratings projeta que a taxa Selic encerrará 2024 em 10,25%, ou seja, que haverá mais um corte de 0,25 ponto porcentual no juro brasileiro até dezembro. Para 2025, o cenário é de retomada no ciclo de afrouxamento monetário, com a Selic encerrando o próximo ano em 9,50% e em 8,50% em 2026. As informações estão em relatório divulgado nesta segunda-feira, 17, pela agência de classificação de risco.

A Fitch aponta que o BC brasileiro adotou rapidamente uma "postura mais cautelosa" na condução da política monetária - ao reduzir o ritmo de cortes do juro básico de 0,50 ponto para 0,25 ponto em maio -, como reflexo, principalmente, de um ambiente externo "mais incerto", com perspectiva de juros restritivos nos Estados Unidos por mais tempo. Incertezas com a política doméstica, além do crescimento econômico mais forte do que o esperado, também foram citadas pela Fitch como vetores para a abordagem mais cautelosa do BC.

"As expectativas de inflação se desviaram ainda mais acima do ponto médio da meta de 3%, provavelmente refletindo incertezas decorrentes do recente relaxamento dos objetivos fiscais e da próxima mudança de liderança no BC", descreve ainda a agência.

O prospecto da Fitch é de inflação medida pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) de 4,3% ao final deste ano, com a inflação de serviços continuando a refletir "alguma inércia persistente de um mercado de trabalho forte". Para 2025, a projeção é de IPCA arrefecendo a 3,8%.

PIB e dólar

A Fitch manteve a projeção de crescimento de 1,7% para o Produto Interno Bruto (PIB) de 2024. Embora a estimativa esteja abaixo do crescimento de 2,9% registrado em 2023, a instituição avalia que a atividade econômica neste ano deverá ter um desempenho mais estável, descontando o efeito da forte safra agrícola do ano passado.

"Esta projeção permanece inalterada a despeito de uma atividade mais forte que a esperada neste início de ano, devido aos efeitos compensatórios das enchentes severas no Rio Grande do Sul - cuja magnitude só ficará mais clara com os dados do segundo trimestre de 2024 -, e ao ritmo mais lento de cortes na taxa de juros", justificam.

A instituição também manteve a projeção de crescimento de 2,1% para o PIB de 2025.

Para o câmbio, a estimativa da Fitch é de dólar a R$ 5,20 ao final deste ano, mas a agência ressalta a sensibilidade da cotação "ao desenvolvimentos das políticas globais e domésticas", que já levaram a cotação da moeda americana a atingir R$ 5,40 neste mês.

Notícias