Topo
Notícias

Papa diz a comediantes que não há problema em fazer piadas sobre Deus, mas sem ofender

14/06/2024 08h37

Por Alvise Armellini

CIDADE DO VATICANO (Reuters) - Não há problema em fazer piada sobre Deus, desde que não seja ofensiva, disse o papa Francisco na sexta-feira em uma audiência especial com cerca de 100 comediantes, atores e escritores de todo o mundo.

Entre os presentes no Vaticano estavam as celebridades do showbiz dos Estados Unidos Whoopi Goldberg, Jimmy Fallon, Conan O'Brien, Chris Rock e Stephen Colbert. Cerca de dois terços dos convidados eram italianos.

"Podemos também rir de Deus? Claro que sim, não é blasfêmia, podemos, assim como brincamos e fazemos piadas com as pessoas que amamos", disse Francisco, falando em italiano.

"O humor não ofende, humilha ou rebaixa as pessoas de acordo com suas falhas", acrescentou, apontando a "sabedoria judaica e a tradição literária" como um exemplo de boa comédia.

O pontífice fez os comentários depois de ter sido criticado e se desculpado pelo uso de uma palavra ofensiva contra os homossexuais.

"O que estou dizendo agora não é heresia: quando você consegue arrancar sorrisos conscientes dos lábios de um espectador, você também faz Deus sorrir", disse Francisco.

O papa de 87 anos saiu um pouco do roteiro durante a reunião de cerca de 30 minutos, colorindo seu discurso com um gesto de palhaço e acrescentando um comentário aparentemente sexista.

Ao falar sobre Sara, a esposa de Abraão no Antigo Testamento, ele disse que ela era "intrometida como as mulheres", pois espionava o marido para "talvez" repreendê-lo mais tarde.

Após seu discurso, Francisco cumprimentou cada participante, contando piadas, recebendo presentes, inclusive uma garrafa de licor italiano, e posando para uma selfie com Pio e Amedeo, uma dupla cômica italiana.

As interações com pessoas que não falam italiano foram mais limitadas.

"Bem, foi breve, ele falou em italiano, então não tenho certeza do que foi dito", afirmou o apresentador de TV O'Brien com um sorriso, antes de acrescentar que havia recebido uma tradução em inglês do discurso.

O'Brien, em tom de brincadeira, comparou a fila para apertar a mão do papa com a fila de crianças esperando para encontrar o Papai Noel.

"Eu queria sentar em seu colo (e dizer): 'Eu quero um trenó para o Natal', sabe? 'Eu quero uma bola de basquete!'..."

"Foi rápido... Eu me diverti muito", acrescentou O'Brien.

Mais tarde, o pontífice viajou para o sul da Itália para participar das discussões do G7 sobre inteligência artificial.

Notícias