Topo
Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

EUA incluem neonazistas suecos em lista de terrorismo e cita 'preocupação' com supremacistas brancos

20.dez.2023 - O presidente dos EUA, Joe Biden, em Milwaukee, Wisconsin - Mandel Ngan/AFP
20.dez.2023 - O presidente dos EUA, Joe Biden, em Milwaukee, Wisconsin Imagem: Mandel Ngan/AFP

Da AFP

14/06/2024 18h05Atualizada em 14/06/2024 18h37

Os Estados Unidos incluíram, nesta sexta-feira (14), em sua lista de atores do terrorismo internacional, um grupo neonazista que opera em países escandinavos e afirmaram estar "preocupados" com a ameaça dos supremacistas brancos em todo o mundo.

Trata-se do Movimento de Resistência Nórdico (NMR, na sigla em sueco) e três de seus líderes, entre eles Tor Fredrik Vejdeland, que promove uma doutrina abertamente racista e quer substituir as democracias escandinavas por um "Estado nórdico etnicamente unificado", afirmou o Departamento de Estado americano em comunicado.

O NMR é o maior grupo neonazista da Suécia, com filiais em Noruega, Dinamarca, Islândia e Finlândia, onde está proibido desde 2020, advertiu Washington.

Fundado na Suécia em 1997, o grupo promove uma atitude "abertamente racista, anti-imigrante, antissemita e anti-LGBTQIA+", acrescentou.

O governo do presidente Joe Biden acusa membros e líderes desse grupo de terem realizado "ataques violentos contra opositores políticos, manifestantes, jornalistas e outros adversários designados como tais" e de organizar "treinamentos de combate".

"Os Estados Unidos continuam profundamente preocupados com a ameaça extremista violenta por motivos raciais ou étnicos em todo o mundo e estão comprometidos a enfrentar os componentes transnacionais da supremacia branca violenta", assinala o comunicado.

Notícias