Topo
Notícias

Acionistas da Tesla apoiam plano milionário de remuneração de Musk, segundo o magnata

13/06/2024 14h02

O magnata Elon Musk, diretor e fundador da Tesla, assegurou que os acionistas da empresa estão apoiando com "ampla margem," seu milionário plano de remuneração, antes de concluir a votação nesta quinta-feira (13).

A empresa tem feito campanha para convencer os acionistas a aprovar novamente o plano, que havia sido aprovado em 2018, mas foi anulado no início deste ano pela Justiça. 

"Ambas as resoluções dos acionistas da Tesla estão sendo aprovadas por amplas margens", escreveu Musk em sua rede social, do estado de Delaware ao Texas. 

"Obrigado por seu apoio!!", escreveu o bilionário em sua mensagem postada na noite de quarta-feira. 

Os resultados oficiais da votação dos acionistas na reunião desta quinta-feira ainda não foram divulgados. A reunião geral começará às 15h30 em Austin, Texas (17h30 em Brasília). A Tesla não respondeu para confirmar as afirmações de seu fundador.

O plano de remuneração de Musk, aprovado pelo conselho administrativo da sua empresa em 2018 por 55,8 bilhões de dólares (300 bilhões de reais), foi anulado no início de 2024 por um tribunal de Delaware, que decidiu ante uma demanda individual de um acionista que alegou que o magnata havia ditado suas condições ao conselho, que não era suficientemente independente. 

O acordo previa que Elon Musk recebesse ações da Tesla com base no cumprimento de uma série de objetivos ao longo de dez anos. 

A empresa anunciou em abril que colocaria o plano em votação novamente na reunião desta quinta-feira. 

As ações da Tesla subiram mais de 7% durante o dia e estavam em alta de mais de 3,7% às 12h00 (horário de Brasília).

Na tentativa de incentivar a participação, a Tesla anunciou uma espécie de sorteio, no qual 15 investidores ganhariam uma visita à fábrica da Tesla em Austin, Texas, guiada pessoalmente por Musk e pelo designer de automóveis Franz von Holzhausen. 

- Águas divididas -

O analista Garrett Nelson, da CFRA Research, não quis arriscar um resultado, mas estima que o apoio dos investidores institucionais será crucial. 

Em vez disso, os analistas da Wedbush observaram em uma nota: "Abra o champanhe, para Musk".

"Acreditamos que o voto maciço dos pequenos acionistas a favor das duas resoluções foi crucial para sua aprovação, apesar da oposição de alguns grandes acionistas institucionais", acrescentaram.

Espera-se que os acionistas individuais, que representam cerca de 40%, apoiem Musk.

Alguns analistas e investidores temem que uma eventual rejeição do mega-pagamento para Musk faça com que ele desvie sua atenção para outras de suas empresas, como SpaceX, X, xAI ou Starlink, em detrimento da Tesla.

"A Tesla é melhor com Elon. A Tesla é Elon", disse Ron Baron, número um da Baron Funds, que investiu cerca de US$ 3 bilhões em ações da montadora. "Elon cumpriu seu contrato. Elon ganhou seu salário".

Questionado pela AFP, o Vanguard, o maior investidor individual, com 7,23% do patrimônio da Tesla no final de 2023, não quis revelar seu voto, e o fundo BlackRock, o maior e o segundo maior investidor mundial na Tesla, com 5,9% do total, não respondeu.

De acordo com o The Wall Street Journal, o primeiro votou contra o plano em 2018 e o segundo a favor.

O fundo de pensão dos professores da Califórnia (CalSTRS), um dos maiores dos Estados Unidos, votou contra um plano descrito como "ridículo" por seu diretor de investimentos, Chris Ailman.

Da mesma forma, o fundo soberano norueguês NBIM, o maior do mundo, com 0,98% do capital acionário da Tesla no final de 2023, também se opõe, como em 2018.

As ações da Tesla valiam US$ 20,70 em Wall Street na véspera da reunião de acionistas de 2018, e agora são negociadas acima de US$ 177.

elm-jmb/sco/tym/mel/mr/jc/aa/dd 

© Agence France-Presse

Notícias