Topo
Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

Bombardeio russo a hipermercado na Ucrânia deixa ao menos seis mortos

Bombeiros extinguem um incêndio em um parque de diversões em Rajkot, no estado indiano de Gujarat, em 25 de maio de 2024. - AFP
Bombeiros extinguem um incêndio em um parque de diversões em Rajkot, no estado indiano de Gujarat, em 25 de maio de 2024. Imagem: AFP

25/05/2024 16h48

Pelo menos seis pessoas morreram e 40 ficaram feridas neste sábado (25) em um bombardeio russo que atingiu um hipermercado de material de construção na cidade de Kharkiv, no nordeste da Ucrânia, uma província que enfrenta uma ofensiva terrestre das tropas de Moscou há duas semanas.

O governador provincial, Oleg Synegubov, declarou pelo Telegram que seis pessoas "morreram no local", 40 ficaram feridas e 16 estão desaparecidas, depois que duas bombas russas teleguiadas atingiram o hipermercado.

Duas das vítimas "eram homens que trabalhavam no hipermercado", afirmou em um vídeo publicado no Telegram.

Uma enorme coluna de fumaça preta saía do edifício destruído, localizado na periferia nordeste da cidade, enquanto os bombeiros tentavam apagar o incêndio causado pelo bombardeio, constatou um cinegrafista da AFP.

Segundo as autoridades, 10 mil metros quadrados estão em chamas, mas os bombeiros estão tentando controlar o fogo.

Ainda vestida com seu uniforme, Lyubov, uma trabalhadora da limpeza no hipermercado, relatou como fugiu do edifício.

- "Tudo ficou preto" -

"Aconteceu de repente. No início, não entendemos, tudo ficou preto e tudo começou a cair sobre nossas cabeças", declarou.

"Ainda bem que meu telefone ligou, graças à lanterna encontrei uma saída, mas à nossa frente tudo já estava em chamas", acrescentou.

A rede de hipermercados Epitsentr vende material de construção e para o lar.

"Até o momento, sabemos que mais de 200 pessoas poderiam estar no hipermercado", indicou no Telegram o presidente Volodimir Zelensky, que condenou um ataque a plena luz do dia contra um alvo "obviamente civil".

Em postagem no X, o presidente francês, Emmanuel Macron, qualificou de "inaceitável" o bombardeio russo contra o hipermercado.

"A França compartilha da dor dos ucranianos e permanece plenamente mobilizada junto deles", acrescentou.

Segundo a agência estatal de notícias russa TASS, que citou uma fonte de segurança, um ataque com mísseis destruiu "um depósito militar e um posto de comando" dentro da loja.

O governador da província de Kharkiv apontou que não havia "contato com parte do pessoal" e que "de acordo com nossas informações, ainda poderia haver clientes no edifício".

Kharkiv, a segunda maior cidade da Ucrânia, está situada no nordeste do país, a apenas uma dúzia de quilômetros da fronteira com a Rússia e sofre bombardeios russos periódicos. Na quinta-feira, esses ataques mataram sete pessoas, segundo as autoridades locais.

Synegubov acrescentou que a cidade esteve sob "intenso fogo de foguetes [durante] todo o dia" de sábado.

"Havia muitos trabalhadores e clientes dentro" do hipermercado, declarou Zelensky.

Mais tarde, ele afirmou que o hipermercado "queimou até os alicerces" e que cerca de 60 pessoas ficaram feridas em Kharkiv durante o dia.

- "Golpe brutal" -

Neste sábado, outro ataque atingiu o centro de Kharkiv, deixando 14 feridos em uma localidade onde havia uma agência dos correios, um salão de cabeleireiro e uma cafeteria, indicou o prefeito da cidade, Igor Terekhov.

O presidente Zelensky visitou Kharkiv na sexta-feira e se reuniu com autoridades para discutir a defesa dos arredores da região.

Neste sábado, ele voltou a instar as potências ocidentais a fornecer "sistemas de defesa antiaérea suficientes" para "evitar esses ataques terroristas".

"A Rússia desferiu outro golpe brutal na nossa cidade de Kharkiv, um hipermercado de material de construção", denunciou o presidente no Telegram.

"Apenas pessoas dementes como Putin são capazes de aterrorizar as pessoas de maneira tão infame", criticou Zelensky, atacando o presidente russo, que ordenou a invasão da Ucrânia em fevereiro de 2022.

O ataque ao hipermercado ocorre após a Rússia lançar, em 10 de maio, uma ofensiva terrestre na província de Kharkiv, durante a qual conseguiu conquistar várias localidades e forçar Kiev a enviar reforços para o setor.

No entanto, a Ucrânia afirmou na sexta-feira que conseguiu frear o avanço russo.

- Bombardeios na fronteira -

Rússia e Ucrânia se acusaram mutuamente de ataques na zona fronteiriça neste sábado.

Segundo Moscou, um bombardeio ucraniano em uma cidade na região russa de Belgorod matou duas pessoas e feriu dez.

A Ucrânia afirmou, por sua vez, que a Rússia bombardeou a vila de Kupiansk-Vuzlovyi, um centro ferroviário da região de Kharkiv perto da fronteira, ferindo cinco pessoas, anunciou o escritório do procurador regional em um comunicado.

De acordo com a mesma fonte, dois veículos pegaram fogo: dois carros com dois passageiros e uma ambulância, na qual estavam o motorista, um paramédico e um paciente de 64 anos.

Na mesma província, a Rússia bombardeou o distrito de Kupiansk, causando danos em uma fábrica e em edifícios residenciais, segundo o escritório do procurador.

No leste, na província de Donetsk, um bombardeio matou uma mulher de 40 anos e feriu quatro pessoas, de acordo com o governador provincial Vadym Filashkin.

bur-am/gv/bc/eg/am/mvv

© Agence France-Presse

Notícias