Topo
Notícias

Conteúdo publicado há
2 meses

Bombardeios israelenses no Líbano deixam três mortos, incluindo membro do Hezbollah

Pessoas caminham entre casas destruídas pelos ataques israelenses, em meio a uma trégua temporária entre Israel e Hamas, na cidade de Gaza em 26 de novembro de 2023 - Abed Sabah/Reuters
Pessoas caminham entre casas destruídas pelos ataques israelenses, em meio a uma trégua temporária entre Israel e Hamas, na cidade de Gaza em 26 de novembro de 2023 Imagem: Abed Sabah/Reuters

01/12/2023 19h51Atualizada em 01/12/2023 19h57

Pelo menos três pessoas morreram nesta sexta-feira (1º), incluindo um membro do Hezbollah, em bombardeios israelenses no sul do Líbano, informou o movimento armado libanês, após o fim de uma trégua entre Israel e o Hamas em Gaza.

O movimento pró-iraniano identificou seu afiliado falecido como Mohammed Mazraani.

Uma fonte próxima ao grupo afirmou que Mazraani morreu em sua casa ao lado de sua mãe, Nasifa, negando que estivesse em ações de combate no momento da morte.

A Agência Nacional de Notícias libanesa havia identificado anteriormente a mãe e o filho como civis.

Mais tarde, indicou que uma terceira pessoa havia morrido e outras três ficado feridas em outro bombardeio contra uma casa em Jebbayn, sem especificar se os mortos eram civis ou combatentes.

Os duelos de artilharia entre o Hezbollah e Israel foram retomados horas depois que expirou a trégua entre Israel e o movimento islamista Hamas em Gaza.

O Hezbollah disse que seus combatentes miraram "um grupo de soldados inimigos nas proximidades do posto de Jal al Allam", um posto militar israelense perto da cidade libanesa de Naqura.

Uma fonte próxima ao Hezbollah, que pediu anonimato por não estar autorizada a falar com a imprensa, havia dito à AFP anteriormente que o grupo considerava o posto de Jal al Allam como um alvo-chave, devido aos equipamentos de vigilância israelenses localizados lá.

Além disso, o Hezbollah reivindicou outros quatro ataques.

O exército israelense, por sua vez, afirmou que havia bombardeado "uma célula terrorista" e "interceptado dois lançamentos" de foguetes do Líbano e indicou que sua artilharia "atingiu a origem do disparo".

Desde o início da guerra entre Israel e o Hamas em 7 de outubro, os confrontos na fronteira israelense-libanesa aumentaram, causando mais de 110 mortes no Líbano, a maioria combatentes do Hezbollah, embora também mais de uma dezena de civis, segundo uma contagem da AFP.

Em Israel, seis soldados e três civis morreram, de acordo com as autoridades israelenses.

Notícias