PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Colômbia confirma 26 mortes por Covid, menor número diário desde maio de 2020

15/09/2021 05h17

Bogotá, 14 set (EFE).- As autoridades sanitárias da Colômbia confirmaram nesta terça-feira mais 26 mortes por Covid-19, número mais baixo desde 28 de maio de 2020, quando a pandemia começou a piorar no país, que agora tem um total de 125.713 vítimas do coronavírus.

Dos óbitos relatadas hoje pelo Ministério da Saúde colombiano, 23 ocorreram em dias anteriores, e o número mais alto foi o de Antioquía, com oito mortes, seguido por Valle del Cauca (5), Bogotá (3) e Santander (2).

Ainda segundo a pasta, houve 1.435 novos casos de Covid-19, o que elevou o total desde o começo da crise sanitária para 4.932.998, dos quais 20.904 estão ativos - 132 a menos que ontem.

Até agora, 37.444.197 doses de vacinas contra o coronavírus foram aplicadas em toda a Colômbia, e 15.746.173 pessoas receberam a dosagem total recomendada pelos laboratórios.

PRIMEIRO INFORME SOBRE EFETIVIDADE DE VACINAS.

O Ministério da Saúde publicou nesta terça-feira o primeiro relatório sobre a eficácia das vacinas contra a Covid-19 que são aplicadas na Colômbia, um estudo realizado em uma população com 60 anos ou mais que demonstra a "alta eficácia dos biológicos".

O diretor de Medicamentos e Tecnologias da Saúde do Ministério, Leonardo Arregocés, afirmou que um dos resultados do estudo é que "o risco de hospitalização e morte por Covid-19 sempre foi significativamente maior para as pessoas não vacinadas".

"Podemos dizer que todas as vacinas de Janssen, Pfizer, AstraZeneca e Sinovac são altamente eficazes na prevenção da hospitalização e morte por este vírus em adultos acima de 60 anos que receberam a programação completa", destacou.

Por sua vez, o diretor de Epidemiologia e Demografia do Ministério da Saúde, Julián Fernández, destacou que a resposta dos imunizantes está relacionada à idade. Em pessoas idosas, a eficácia tende a ser menor, embora ele tenha ressaltado que todas as pessoas que receberam a injeção tinham um risco muito menor de doenças graves que exigiam internação ou de morte por Covid-19 em comparação com aquelas que não receberam a vacina.

"Mesmo entre pessoas com 80 anos de idade ou mais, as vacinas se mostram altamente eficazes na prevenção da hospitalização e, além disso, na prevenção da morte. Os resultados mostram diferenças na eficácia entre os grupos etários, mas as diferenças na eficácia das diferentes vacinas dadas ao mesmo grupo etário não são significativas", esclareceu Fernández.

Notícias