PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

Incêndios na Turquia ameaçam usina termelétrica

03/08/2021 19h46

Marmaris, Turquia, 3 Ago 2021 (AFP) - Os grandes incêndios que arrasam o sudoeste da Turquia há sete dias se aproximam de uma central termelétrica que fica perto da cidade de Milas, alertou seu prefeito, enquanto milhares de pessoas eram evacuadas devido à catástrofe, que deixou oito mortos até o momento.

O prefeito de Milas, Muhammet Tokat, alertou em várias ocasiões sobre o avanço descontrolado das chamas pela colina onde a termelétrica está instalada. Na tarde desta terça-feira, o incêndio ainda não havia sido controlado e havia passado "do ponto crítico", advertiu.

O país, de 84 milhões de habitantes, está horrorizado com as imagens dos incêndios mais mortais e destrutivos em décadas, que colocam em dúvida a gestão do presidente Recep Tayyip Erdogan. As chamas devastam áreas florestais e agrícolas, mas também áreas habitadas nas costas do Mediterrâneo e do Mar Egeu, com turistas e moradores fugindo aterrorizados em barcos.

Uma equipe da AFP na cidade costeira de Marmaris registrou fazendeiros conduzindo seus assustados animais para a relativa segurança das praias. "Uma das minhas vacas morreu queimada", disse Mevlut Tarim, um fazendeiro de 67 anos de Hisaronu, perto de Marmaris. "Nunca vi nada parecido. Você não pode chamar de fogo, era realmente como uma bomba", completou.

Turistas e residentes presos tiveram que ser evacuados de barco devido à propagação das chamas por ventos fortes e altas temperaturas, acima de 40ºC em muitas cidades. O calor também causou um aumento recorde no consumo de eletricidade, levando a quedas de energia nesta segunda-feira em Ancara e Istambul.

- Grécia e Albânia -Na vizinha Grécia, também afetada pela pior onda de calor em 30 anos, outro incêndio teve início nesta terça-feira, a 30 km de Atenas, o que levou ao fechamento de parte da rodovia que liga a capital grega ao norte e ao sul do país e à evacuação de ao menos 300 pessoas.

Mais de 500 bombeiros, auxiliados por helicópteros e aviões, lutam contra o incêndio ao norte de Atenas. Nos últimos dias, o país observou vários incêndios significativos em Acaia, perto de Patras, no Peloponeso e na ilha de Rodes.

As chamas também queimam na Albânia, com temperaturas muito altas gerando uma dúzia de incêndios. A polícia do país informou que um homem de 64 anos morreu e sua esposa ficou gravemente ferida quando os dois foram pegos pelo fogo perto de sua casa na região sul de Gjirokastra, próximo à fronteira com a Grécia.

Recentemente, a Espanha e a Itália também enfrentaram as chamas. No norte da Europa, a Finlândia luta contra o pior incêndio em meio século. Muitos especialistas associam esses eventos às mudanças climáticas e ao aquecimento global, que podem aumentar a intensidade e a frequência dos incêndios no futuro.

- Críticas a Erdogan -Na Turquia, o principal partido da oposição, o Partido do Povo Republicano, censurou Erdogan por ter desmontado a infraestrutura de uma organização semipública que possuía aviões especializados no combate aos incêndios. Aeronaves do tipo foram enviadas da Espanha, Croácia, Rússia, Ucrânia, Irã e Azerbaijão, países aos quais Erdogan agradeceu pela ajuda em uma publicação no Twitter.

O líder turco se tornou alvo de críticas e de piadas nas redes sociais, após sua visita à área afetada no fim de semana passado, durante a qual jogou saquinhos de chá, sob os olhares de moradores atônitos. Diante de um crescente descontentamento, o chefe de comunicações da presidência turca, Fahrettin Altun, reclamou das "notícias falsas" que são divulgadas para dar a impressão de uma Turquia "fraca".

Por sua vez, o conselho audiovisual turco (RTUK) alertou as redes de televisão contra a divulgação de informações sobre os incêndios que poderiam "causar medo e incerteza" na população e pediu que fossem veiculadas imagens apenas dos incêndios extintos.

vid-bg/zak/yad/grp/zm/dhb/mb/tt/ap/ic

Notícias