PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

Governador indulta casal que apontou armas para manifestantes antirracismo nos EUA

28.jun.2020 - Casal Mark e Patricia McCloskey aponta armas para manifestantes do grupo Black Lives Metter em St. Louis (EUA) - LAWRENCE BRYANT
28.jun.2020 - Casal Mark e Patricia McCloskey aponta armas para manifestantes do grupo Black Lives Metter em St. Louis (EUA) Imagem: LAWRENCE BRYANT

03/08/2021 23h47Atualizada em 04/08/2021 08h59

Washington, 4 Ago 2021 (AFP) - O governador do estado americano do Missouri indultou um casal americano que apontou armas para manifestantes antirracismo em frente à sua casa em 2020, anunciou ontem o gabinete de Mike Parson.

Mark e Patricia McCloskey, ambos advogados, declararam-se culpados no mês passado das acusações de agressão e perseguição, respectivamente. Eles foram condenados a multas de US$ 750 (R$ 3.900) e US$ 2.000 (R$ 10,4 mil).

O casal foi inicialmente acusado do crime de uso indevido de armas. Ambos aparecem em um vídeo descalços do lado de fora de sua casa, apontando com armas e gritando para manifestantes pacíficos do movimento Black Lives Matter, que protestavam contra o racismo e os abusos policiais, em 28 de junho de 2020.

O governador republicano do Missouri indultou o casal na semana passada, cumprindo uma promessa feita desde que o caso aconteceu, em um estado onde os conservadores defendem ferrenhamente a conduta dos McCloskey.

"É ilegal usar armas de forma ameaçadora contra manifestantes pacíficos", declarou a promotora de Saint Louis, Kimberly Gardner, ao acusar o casal, no ano passado.

Os McCloskey se tornaram um símbolo da divisão entre os americanos conservadores brancos e os negros que clamam por justiça. Eles se sagraram heróis republicanos na disputada eleição presidencial do ano passado, alertando que os democratas retirariam os direitos dos americanos relacionados à posse e ao porte de armas.

Em maio, Mark McCloskey anunciou o lançamento de sua campanha para o cargo de senador pelo Missouri. Em um vídeo eleitoral, ele destacou a ameaça que o casal supostamente enfrentou por parte dos manifestantes.

"Quando uma horda raivosa veio para destruir a minha casa e matar minha família, eu me opus", disse. "Nunca irei recuar."

Notícias