PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

Partidos sérvios da Bósnia anunciam boicote às principais instituições

26/07/2021 17h37

Sarajevo, 26 Jul 2021 (AFP) - Os líderes dos partidos políticos sérvios da Bósnia anunciaram nesta segunda-feira (26) que vão boicotar as instituições centrais do país para protestar contra a decisão da ONU de proibir a negação do genocídio de Srebrenica.

"A partir de amanhã, os representantes políticos sérvios deixarão de participar no trabalho das instituições comuns da Bósnia-Herzegovina", disse em uma coletiva de imprensa Branislav Borenovic, um dos líderes da oposição no Parlamento da República de Srpska, a entidade sérvia do país dividido por grupos étnicos.

"Não tomaremos nenhuma outra decisão até que esta questão seja resolvida", acrescentou.

Desta forma, manifestam a sua oposição à decisão do Alto Representante da ONU, o diplomata austríaco Valentin Inzko, de introduzir uma pena de até cinco anos de prisão para quem negar ou minimizar os crimes de guerra ou genocídio na Bósnia.

O Alto Representante, cuja função é monitorar o cumprimento do acordo de paz de Dayton de 1995, usou seu poder discricionário na semana passada para impor esta emenda ao Código Penal da Bósnia.

Os partidos sérvios agora ameaçam bloquear a presidência colegiada, o Parlamento e o governo.

O massacre de Srebrenica, no qual as forças sérvias bósnias mataram quase 8 mil crianças e adolescentes muçulmanos bósnios, foi perpetrado meses antes do fim do conflito étnico (1992-95), que deixou 100 mil mortos. Foi classificado como um ato de genocídio pela justiça internacional.

Os legisladores sérvios na Bósnia-Herzegovina e na Sérvia frequentemente minimizam ou negam esse massacre, que eles reconhecem apenas como um "crime grave".

rus/thm/eb/pc/ap/mvv

Notícias