PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

EUA prepara novas sanções contra Rússia por liberação de Navalny

29.set.2019 - O líder da oposição russa Alexei Navalny participa de um comício em apoio a prisioneiros políticos na rua Prospekt Sachara em Moscou, Rússia - Sefa Karacan / Agência Anadolu via Getty Images
29.set.2019 - O líder da oposição russa Alexei Navalny participa de um comício em apoio a prisioneiros políticos na rua Prospekt Sachara em Moscou, Rússia Imagem: Sefa Karacan / Agência Anadolu via Getty Images

20/06/2021 12h08Atualizada em 20/06/2021 13h11

Washington, 20 Jun 2021 (AFP) - Os Estados Unidos preparam novas sanções contra Moscou pela prisão do opositor russo Alexei Navalny, disse hoje o assessor de Segurança Nacional da Casa Branca, Jake Sullivan.

"Estamos preparando outra série de sanções para aplicar nesta situação", disse à rede CNN, quatro dias depois da cúpula em Genebra entre o presidente americano Joe Biden e seu homólogo russo Vladimir Putin.

Alexei Navalny, líder do principal partido de oposição russo, foi transferido em coma para um hospital de Berlim em agosto de 2020 após um envenenamento na Rússia que ele atribui ao Kremlin.

Passou quase seis meses se recuperando na Alemanha e foi preso em janeiro quando voltou para a Rússia. Desde então, está preso, e Washington exige sua libertação.

"Já sancionamos a Rússia pelo envenenamento de Alexei Navalny", lembrou Sullivan. "Não fizemos sozinhos, reunimos nossos aliados em um esforço coletivo para sancionar o uso de uma substância química contra um de seus cidadãos em território russo".

Em 2 de março, alguns dias depois da prisão de Navalny, Washington aplicou sanções a sete altos funcionários russos, as primeiras sanções tomadas contra a Rússia sob o mandato de Biden, que começou em 20 de janeiro.

Pouco antes da cúpula russo-americana em Genebra em 16 de junho, Biden disse que a morte de Navalny "só deterioraria as relações (de Moscou) com o resto do mundo". "E comigo", enfatizou.

Durante seu encontro, Biden e Putin mostraram vontade de aliviar as tensões, embora não tenham feito anúncios concretos.

Sobre o destino de Navalny, Putin se limitou a dizer que "este homem sabia que estava violando a lei vigente na Rússia".

Notícias