PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

ONU afirma que crise migratória venezuelana passa por um "momento crítico"

17/06/2021 21h57

Toronto (Canadá), 17 jun (EFE).- A Conferência Internacional de Doadores em Solidariedade aos Refugiados e Migrantes Venezuelanos começou nesta quinta-feira com um apelo à comunidade internacional para ajudar tanto os deslocados como os países de acolhimento da região, em "um momento crítico" desta crise.

Isso foi definido por Filippo Grandi, o alto comissariado das Nações Unidas para os Refugiados, onde afirmou que a pandemia "está causando uma devastação na América Latina e no Caribe" que faz com que refugiados e migrantes da Venezuela "enfrentem crescentes problemas de proteção".

"Uma em cada quatro crianças venezuelanas é separada de um ou de ambos os pais. Uma em cada três vai para a cama com fome. Quase dois terços não frequentaram a escola desde o início da pandemia. O risco para as mulheres é maior. Violência doméstica, assédio e abuso sexual estão em alta".

A ministra do Desenvolvimento Internacional canadense, Karina Gould, explicou que o objetivo da conferência evento, que conta com a presença de representantes de cerca de 60 países e instituições, "é obter apoio adicional para responder a uma crise que, apesar da sua magnitude passou em grande parte despercebida e subvalorizada".

Por sua vez, o diretor-geral da Organização Internacional para as Migrações (OIM), António Vitorino, apelou aos países de acolhimento para incluírem os 5,7 milhões de venezuelanos deslocados em seus respectivos planos nacionais de vacinação contra a covid-19.

A conferência sobre refugiados e migrantes venezuelanos, que acontece virtualmente e termina hoje, deve receber doações semelhantes às feitas no ano passado, quando a União Europeia e a Espanha organizaram o encontro.

A comunidade internacional então se comprometeu a fazer contribuições de US$ 2,79 bilhões, dos quais US$ 653 milhões eram doações.

Na última sexta-feira, o Acnur disse que são necessários US$ 1,44 bilhão para ajudar os migrantes e refugiados venezuelanos, mas por enquanto, apenas 5% desse valor foi comprometido este ano.

Notícias