PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

Equador planeja vacinar migrantes contra a covid a partir de agosto

17/06/2021 21h58

Quito, 18 Jun 2021 (AFP) - O Equador, que abriga cerca de 433 mil venezuelanos, planeja vacinar migrantes contra a covid-19 a partir de agosto, independentemente de seu status de imigração, informaram autoridades do Ministério das Relações Exteriores nesta quinta-feira (17).

"Esse é um segmento da população que deve ser atendido e está incluído no propósito do presidente (Guillermo) Lasso de alcançar com as vacinas o maior número possível de pessoas no menor tempo possível", disse o chanceler Mauricio Montalvo em um encontro com a imprensa estrangeira.

Lasso, que assumiu o cargo em 24 de maio, afirmou que seu plano para reativar o país é vacinar nove milhões de pessoas contra o coronavírus nos seus primeiros 100 dias de governo.

O vice-ministro da Mobilidade Humana, Carlos Velasteguí, especificou que, de acordo com o calendário elaborado pelo Ministério da Saúde equatoriano, a vacinação de migrantes está prevista para "começar no mês de agosto".

O Grupo de Trabalho das Nações Unidas para Refugiados e Migrantes (GTRM) estima que cerca de 433 mil venezuelanos que fugiram da crise econômica e social em seu país estejam no Equador de maneira regular ou irregular.

Entre janeiro de 2018 e junho de 2021, foram regularizados 170.123 venezuelanos, por meio de vistos de visitante temporário, residência temporária ou residência permanente, segundo a chancelaria.

O processo de imunização deverá contemplar "todos os cidadãos em mobilidade humana que se encontram em território equatoriano", acrescentou Velasteguí. O responsável destacou que o registo de estrangeiros para a vacinação será feito através de uma plataforma.

O Equador, com 17,5 milhões de habitantes, registra 442.341 infecções (2.527 a cada 100 mil habitantes) e 21.175 óbitos por covid-19, entre confirmados e prováveis. É o sétimo país da América Latina com mais casos e mortes, de acordo com contagem da AFP.

O Ministério da Saúde da nação sul-americana informa que até 8 de junho havia administrado cerca de 2,8 milhões de doses, com cerca de 911 mil pessoas completamente vacinadas. São utilizados os imunizantes da Pfizer-BioNTech, Sinovac e AstraZeneca-Oxford.

O governo equatoriano espera receber em julho seis milhões de vacinas do laboratório chinês CanSino Biologics, de dose única.

pld/gma/ic/mvv

Notícias