PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

López Obrador afirma que tem possíveis sucessores "até para emprestar"

14/06/2021 20h25

Cidade do México, 14 jun (EFE).- O presidente do México, Andrés Manuel López Obrador, disse nesta segunda-feira que tem possíveis sucessores "até para emprestar" e que a oposição tenta jogar uns contra os outros usando o acidente de metrô na Cidade do México que deixou 26 mortos.

"Os conservadores estão muito minguados, não há líderes no conservadorismo. Talvez eles surjam, mas no flanco da esquerda há até para jogar pra cima, há até para emprestar", comentou López Obrador em sua entrevista coletiva matinal no Palácio Nacional.

Após a publicação de uma reportagem do jornal americano "The New York Times" sobre o acidente na linha 12 do metrô que deixou 26 mortos, o presidente mexicano disse que a oposição quer confrontar a chefe de governo da capital, Claudia Sheinbaum, com seu antecessor e atual chanceler, Marcelo Ebrard, que construiu a linha.

"Nossos adversários querem colocar o Marcelo para brigar com a Cláudia, eles gostariam que o Marcelo e a Cláudia brigassem", opinou López Obrador, citando dois dos presidenciáveis mais bem posicionados para as eleições de 2024.

O presidente mexicano disse ainda que os opositores também tentam instigar desacordos entre outros nomes da esquerda, como a secretária de Economia, Tatiana Clouthier, o embaixador mexicano na ONU, Juan Ramón de la Fuente, e o embaixador mexicano nos Estados Unidos, Esteban Moctezuma.

"Eles apostam nisso, que nos separemos. Eles vão ficar apenas com o desejo", garantiu.

O "NYT" publicou no domingo uma longa reportagem sobre a tragédia do metrô do último dia 3 de maio, na qual concluiu que houve erros na construção da ponte elevada que desabou durante a passagem do trem.

Após a publicação, Sheinbaum negou que seu governo tenha vazado informações para a mídia e criticou que o jornal "tem procurado enfrentar a Quarta Transformação", lema do governo de López Obrador.

Por sua vez, Ebrard, arquiteto da construção da linha em 2012, criticou que sua posição sobre o acidente "foi ignorada" pela mídia.

Nesta segunda-feira, López Obrador destacou que "vazamentos de informação sempre ocorrem", uma vez que "em todos os governos há quem não só não esteja de acordo com o nosso projeto, mas seja contra".

Questionado sobre se vai demitir o chanceler, o presidente mexicano respondeu que "devemos aguardar a decisão" sobre a tragédia que as autoridades estão preparando e anunciou que ela poderá ser divulgada ainda esta semana.

"Acredito que o parecer já existe e será divulgado esta semana e o órgão competente vai resolver", ressaltou.

A tragédia do metrô tem sido interpretada como uma das causas do golpe eleitoral sofrido pelo esquerdista Movimento Nacional de Regeneração (Morena) nas eleições municipais da Cidade do México no último domingo, nas quais o partido só venceu em sete das 16 demarcações territoriais da capital.

Notícias