PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

Quatro suspeitos de lançar ameaças antissemitas são detidos em Londres

Os ataques aconteceram um dia depois de manifestantes pró-palestina protesta em Londres em frente à embaixada israelense - Tolga Akmen/AFP
Os ataques aconteceram um dia depois de manifestantes pró-palestina protesta em Londres em frente à embaixada israelense Imagem: Tolga Akmen/AFP

Da AFP, em Londres

17/05/2021 07h58Atualizada em 17/05/2021 08h46

Quatro homens foram detidos por suspeita de lançarem insultos e ameaças antissemitas durante um incidente no norte de Londres que foi filmado e compartilhado nas redes sociais, gerando reações de indignação.

O primeiro-ministro Boris Johnson denunciou um "racismo vergonhoso" que "não tem lugar" na sociedade britânica, enquanto o líder da oposição trabalhista, Keir Starmer, classificou os atos de "profundamente repugnantes".

As imagens postadas nas redes sociais mostram um grupo de carros cobertos de bandeiras palestinas que passa, no domingo à tarde, pelo Finchley Road, um bairro do norte de Londres com uma significativa comunidade judaica.

Um ocupante de um dos veículos usa um megafone para gritar insultos e ameaças antissemitas.

Este incidente ocorreu um dia depois de uma manifestação pró-palestina em Londres, com a presença de milhares de pessoas, para denunciar os confrontos entre Israel e o Hamas na Faixa de Gaza.

A polícia identificou um veículo e prendeu quatro homens como suspeitos de crimes de ordem pública, com o agravante do racismo, informou a polícia de Londres ontem à noite de domingo (16).

"É um comportamento totalmente ofensivo e não será tolerado. Entendo que isso pode ter causado uma considerável preocupação na comunidade, e organizamos patrulhas adicionais" nas áreas afetadas, anunciou o superintendente Jo Edwards, responsável pelas operações policiais.

Na segunda-feira, o prefeito de Londres, o trabalhista Sadiq Khan, primeiro muçulmano a governar uma grande capital europeia, confirmou ao canal Sky News que haverá uma maior presença da polícia em zonas com importantes comunidades judaicas, sinagogas e escolas comunitárias para tranquilizar a população.

Denunciando "o impacto desse comportamento criminoso que está semeando o medo entre os judeus em Londres e em todo o país", Khan pediu que "não se traga os conflitos (que ocorrem) a 3 mil quilômetros de distância da capital".

Notícias