PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

Colômbia tem menos de 400 mortes por Covid-19 e quase 15 mil novos casos

06/05/2021 02h19

Bogotá, 5 mai (EFE).- A Colômbia confirmou nesta quarta-feira mais 388 mortes por Covid-19, ficando abaixo da marca dos 400 óbitos pela primeira vez desde 18 de abril, e reportou 14.806 novas infeções por coronavírus, segundo o Ministério da Saúde.

Desde o começo da pandemia, o país vizinho acumulou 2.934.611 contágios pelo vírus SARS-CoV-2 e 76.015 óbitos causados pela Covid. São 93.939 infecções ainda, enquanto 2.754.940 foram contadas como curadas.

Bogotá mais uma vez liderou a tabela de novas mortes, com 75, quatro a mais que Antioquia. Também tiveram quantidades altas de óbitos Atlántico (58), Atlántico (58), Valle del Cauca (37), Cundinamarca (31), Cesar (16), Santander (15) e Caldas (12).

A capital também teve o maior número de infecções diárias, com 4.048, e foi seguida pelos departamentos de Antioquia (1.948), Atlántico (1.549), Valle del Cauca (935), Cesar (683) Bolivar (675) e Cundinamarca (659).

TESTES DE CORONAVÍRUS E VACINAÇÃO SÃO CANCELADOS EM BOGOTÁ.

Bogotá cancelou hoje a realização de testes diagnósticos de coronavírus e vacinação contra a Covid-19 devido a mais um dia de violência vivido ontem pela capital durante os protestos contra o governo nacional. Em uma semana de protestos, houve pelo 24 mortes, e mais de 800 pessoas ficaram feridas.

Pelo menos 72 civis e 19 policiais foram feridos em enfrentamentos na noite desta terça. Vândalos atacaram 23 delegacias, uma das quais foi incendiada com dez policiais dentro, mas eles conseguiram escapar.

"Com muita dor, dei instruções para fecharem os pontos de realização de testes PCR para o diagnóstico da Covid, bem como os pontos de vacinação, que têm sido nosso orgulho nos últimos dias", afirmou o secretário de saúde da capital, Alejandro Gómez.

O secretário pediu para os manifestantes respeitarem a missão médica e permitirem a circulação de ambulâncias e funcionários da área da saúde, além de não obstruírem o tráfego de veículos que transportam suprimentos, oxigênio, alimentos e medicamentos para hospitais e clínicas.

Notícias