PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Presidente argentino compara Biden a Perón

05/05/2021 00h40

Buenos Aires, 4 may (EFE).- O presidente da Argentina, Alberto Fernández, comparou nesta terça-feira o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, com o ex-mandatário argentino Juan Domingo Perón, fundador do movimento político que hoje governa o país sul-americano.

"Juan Domingo Biden (sic) pediu a sindicalização como forma de promover os direitos sociais nos Estados Unidos", disse Fernández em um ato público na cidade de Ezeiza, na região metropolitana de Buenos Aires.

Em 1946, o triunfo eleitoral de Perón, que governou a Argentina entre aquele ano e 1955 e em 1973 e 1974, confirmou a popularidade que ele vinha ganhando entre as classes trabalhadoras por sua atuação em favor dos direitos sociais e trabalhistas como secretário do Trabalho de 1943 a 1945.

COMPARAÇÃO COM BIDEN.

Na semana passada, em seu primeiro discurso ao Congresso em uma sessão conjunta da Câmara e do Senado, Biden defendeu o trabalho dos sindicatos dos EUA e enfatizou que Wall Street "não construiu" o país, mas sim a "a classe média", e enfatizou que os sindicatos "construíram a classe média".

No discurso, Biden fez essa feroz defesa das organizações de trabalhadores e do direito de pertencer a um sindicato, e pediu ao Congresso que aprovasse sua proposta para defender as organizações trabalhistas e o direito de pertencer a elas.

Fernández, hoje, mostrou sua opinião a respeito.

"Em seu discurso inaugural, um discurso formidável (...) ele promoveu o maior programa de emprego da história dos EUA, e como eles fazem isso? Com mais recursos, mas da mesma forma que nós fazemos: promovendo obras públicas", afirmou.

O presidente argentino também fez referência a Biden quando observou que o país sul-americano aposta na produção nacional.

"Agora vocês ouviram de Biden, mas quando assumimos o governo, dissemos: vamos comprar produtos nacionais, porque ao comprar produtos nacionais geramos produção nacional, empresários que investem e proporcionam empregos", disse Fernandez no evento, convocado para anunciar um plano que fornecerá laptops - fabricados na Argentina - a estudantes do ensino médio.

Notícias