PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

EUA pretendem vacinar completamente 160 milhões de pessoas até 4 de julho

05/05/2021 00h37

Washington, 4 mai (EFE).- Os Estados Unidos estipularam a meta de vacinar completamente 160 milhões de pessoas até 4 de julho, data em que celebra o Dia da Independência, e de ter 70% dos adultos do país - cerca de 230 milhões - vacinados com ao menos uma dose.

Joe Biden, presidente dos EUA, prevê anunciar o compromisso nesta terça-feira, além de um aumento dos esforços e do investimento público para fazer com que a vacinação chegue mais facilmente às zonas rurais e intensificar as campanhas de informação.

O governo americano prefere não falar de imunidade de rebanho ao prometer essas cotas, mas entende que alcançá-las significa "começar a se aproximar da normalidade", ressaltaram altos cargos.

Por outro lado, e assim que o órgão regulador Food and Drug Administration (FDA) autorizar, como se espera nos próximos dias, Biden instará os estados a vacinarem rapidamente os adolescentes entre 12 e 15 anos para que recebam pelo menos uma dose antes de 4 de julho e estejam totalmente imunizados na volta às aulas, no outono.

Neste momento, de acordo com dados do governo dos EUA, 105 milhões de americanos (31%) estão totalmente vacinados e 147 milhões (56%) receberam pelo menos uma dose.

O ritmo intenso da vacinação contribuiu para a queda acentuada dos casos, hospitalizações e mortes por coronavírus, especialmente entre os idosos: as mortes neste grupo caíram 80% desde janeiro.

Com a nova meta estabelecida por Biden, a porcentagem de pessoas totalmente imunizadas chegaria quase à metade da população em 4 de julho (48%).

Nesta nova fase, o governo aumentará os esforços para estender a vacinação às zonas rurais e para convencer aqueles que ainda não decidiram ser imunizados.

Conforme explicado pela Casa Branca, a rede de farmácias, cerca de 40 mil unidades, será ordenada a vacinar sem agendamento prévia e os estados serão estimulados a permitir também a administração da vacina sem marcação prévia em locais habilitados.

A Agência Federal de Gestão de Emergências (FEMA) apoiará os centros locais e aumentará o número de unidades móveis de vacinação, que serão dirigidas principalmente para áreas onde o acesso é mais difícil. Também haverá investimentos para facilitar o acesso à vacina.

Notícias