PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

'Guedes não ajudou em nada, é pequeno para estar onde está', diz Mandetta

do UOL

Do UOL, em São Paulo

04/05/2021 17h05

O ex-ministro da Saúde Luiz Henrique Mandetta fez duras críticas ao ministro da Economia, Paulo Guedes, enquanto era sabatinado por senadores na CPI da Covid, na tarde de hoje. Mandetta classificou Guedes como pessoa "desonesta intelectualmente", que "não sabia nem olhar para um calendário" e que não "ajudou em nada" durante a pandemia da covid-19.

"Esse ministro [Paulo] Guedes, era desonesto intelectualmente, uma coisa pequena, um homem pequeno para estar onde está", disse Mandetta, ao responder questionamento de uma senadora se a sua equipe, na pasta, havia sido intimidada em algum momento.

"Esse ministro, ele não soube nem olhar para o calendário [de vacinação] para falar 'puxa, não tem vacina sendo comercializada no mundo...'. Eu só posso lamentar. O ministro da Economia não ajudou em nada, pelo contrário. Só ligava e falava 'já mandei o dinheiro, se virem, agora vamos tocar a economia", criticou, em seguida.

A CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) investiga ações e eventuais omissões do governo federal em meio à pandemia, além de fiscalizar recursos da União repassados a estados e municípios.

Mandetta deixou o comando do Ministério da Saúde em abril do ano passado, após embates com Bolsonaro e por se recusar a assinar um protocolo recomendando o uso de cloroquina para o tratamento da covid-19. Estudos afirmam que o medicamento não tem eficácia contra o coronavírus e podem até causar outros problemas de saúde.

Mandetta é ouvido na comissão em condição de testemunha, e tem o compromisso de dizer a verdade. Caso contrário, poderá incorrer no crime de falso testemunho.

Bolsonaro: "Não devo nada"

Apesar do movimento de aliados nos bastidores, o presidente Jair Bolsonaro tem afirmado que não se preocupa com a CPI da Covid. "Não estou preocupado porque não devo nada", afirmou ele sobre a comissão.

Nesta segunda-feira (3), o Brasil alcançou 408.829 óbitos desde o início da pandemia, segundo dados obtidos pelo consórcio de veículos de imprensa, do qual o UOL faz parte, junto às secretarias estaduais de saúde.

Foram registradas 1.054 mortes em decorrência da covid-19 em todo o país somente nas últimas 24 horas.

Notícias