PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Limpeza dos bancos: como cuidar e o que nunca fazer com o estofado do carro

Deixar o interior do carro como novo requer alguns cuidados frequentes e também ajuda profissional - Murilo Góes/UOL
Deixar o interior do carro como novo requer alguns cuidados frequentes e também ajuda profissional Imagem: Murilo Góes/UOL
do UOL

Rodrigo Lara

do UOL, em São Paulo

30/04/2021 04h00

Juntamente com o volante, os estofados são um dos pontos de um carro que mais entram em contato com os seus usuários. Só isso já faz com que eles sejam mais expostos a sujeiras e manchas, mas também é preciso lembrar que o tipo de uso e o local onde o veículo transita também podem contribuir nesse quesito.

Nesse sentido, uma dúvida recorrente é sobre qual a frequência ideal para a limpeza dos bancos do carro.

"Isso depende de vários fatores, como a localidade, se o proprietário anda muito com os vidros abertos e por aí vai. Se a pessoa transita em estradas de terra, a sujeira fica mais aparente. Já a fuligem acumulada por quem anda na cidade costuma ser mais difícil de notar", explica Alex Almeida, proprietário do Grupo A Car Detail.

No caso de bancos de tecido, uma boa forma de saber se há a necessidade de limpeza é levar o carro em ambiente iluminado, dar algumas batidas com a mão sobre os bancos e checar se há poeira levantando.

Banco empoeirado - Divulgação/Grupo A Car Detail - Divulgação/Grupo A Car Detail
Poeira levantando de bancos de tecido é um sinal de que está na hora da limpeza
Imagem: Divulgação/Grupo A Car Detail

"Já quando os bancos são de couro ou courvin, a tendência é que haja menos aderência de sujeira. Nesse caso, uma boa forma de saber se o banco está sujo, especialmente em revestimentos escuros, é checar se o revestimento está brilhante. Brilho, neste caso, é indicativo de sujeira", salienta Almeida.

Cuidados frequentes

Uma boa forma de evitar que sujeiras diárias acabem impregnadas nos bancos é fazer uma limpeza periódica. Tudo começa pela aspiração dos estofados, de maneira a remover poeira e outras partículas superficiais.

Sabe aquela nuvem de poeira que apareceu após fazer o procedimento de bater no banco com o carro em ambiente iluminado? Manter uma rotina de aspiração evita o acúmulo desse tipo de sujeira, que pode, inclusive, ser fonte de alergia para quem tem problemas respiratórios como rinite.

Banco de couro sujo - Divulgação/Grupo A Car Detail - Divulgação/Grupo A Car Detail
Em bancos de couro, uma forma de saber se está na hora de uma boa limpeza é ver se a superfície brilha
Imagem: Divulgação/Grupo A Car Detail

Outra vantagem da aspiração é remover restos de alimentos que, porventura, tenham sido consumidos dentro do carro. Além de evitar odores - dependendo do tipo de resto que caiu no estofado ou no chão do veículo -, também evita o aparecimento de insetos como formigas e até baratas.

Para a limpeza da superfície em si, você vai precisar de três panos, água e detergente neutro. O processo envolve passar um pano levemente umedecido com água e detergente - não pode estar encharcado, especialmente se a limpeza for feita em bancos de tecido, que é um material absorvente -, em seguida outro pano também levemente umedecido com água apenas e um terceiro, seco, para remover possíveis excessos.

Feito isso, o ideal é deixar o carro em ambiente arejado e com os vidros e portas abertas, para garantir que todo o estofamento seque.

Higienização também é bem-vinda

De tempos em tempos - o prazo pode variar dependendo do tipo de cuidado que você tem -, também é recomendado fazer uma higienização dos bancos do carro em uma empresa especializada.

O procedimento tem preços variando entre R$ 400 e R$ 500 para carros médios e garante uma limpeza mais profunda do estofado, algo útil para remover manchas superficiais e manter o conjunto com aspecto de novo. Outra opção útil, especialmente em bancos de tecido, é fazer um procedimento de impermeabilização, o que ajuda a evitar que líquidos derramados sejam absorvidos.

No caso de bancos de couro, porém, há um outro processo importante para que o material mantenha suas características: a hidratação. "Nós recomendamos que a higienização e a hidratação seja feita a cada seis meses, o que ajuda a garantir a sua vida útil", diz Almeida.

E se o tecido ou o couro foi manchado de forma mais severa. Aí, o melhor a se fazer é procurar ajuda profissional, mas normalmente há soluções.

No caso de bancos de tecido, o procedimento envolve o uso de produtos abrasivos que retiram as manchas e recuperam o visual original.

Pintura de couro - Arte/UOL - Arte/UOL
Em caso de manchas mais severas em bancos de couro, uma opção é pintar a área afetada
Imagem: Arte/UOL

Já no caso do couro, tudo depende do tipo de mancha. Em alguns casos, produtos utilizados em serviços especializados removem as marcas, mas em situações mais críticas, é feita uma repintura da área afetada, de maneira que ela fique na mesma tonalidade do material original.

Notícias