PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Audi A6 elétrico é novidade do Salão de Xangai e chegará às ruas em 2023

do UOL

José Antonio Leme

do UOL, em São Paulo (SP)

19/04/2021 02h10

A Audi aproveitou o Salão de Xangai, na China, para apresentar sua próxima criação elétrica, o A6 e-tron. O modelo elétrico inicia uma nova fase na companhia e chegará às ruas nos próximos dois anos.

Ele é o primeiro produto da companhia sobre a nova plataforma para carros elétricos premium do grupo VW, a PPE (Premium Platform Electric). Ela foi desenvolvida em parceria com a Porsche e será utilizada inicialmente apenas pelas duas marcas para produzir especialmente sedãs.

O conceito, segundo a Audi, já está com as linhas próximas as do carro que entrará realmente em produção. Além disso, com o anúncio do A6 e-tron, a empresa confirmou que a atual geração do A6 é a última a combustão. A montadora alemã também confirmou que os modelos a combustão e elétrico irão conviver por um tempo no mercado.

O A6 e-tron concept tem 4,96 metros de comprimento, 1,96 m de largura e 1,44 m de altura. São medidas equivalentes aos atuais A6 e A7 - sedã e sedã cupê produzidos sobre a plataforma modular para carros médio-grandes, a MLB.

A dianteira com uma enorme faixa preta serve para, além de manter o visual com os demais modelos da gama e-tron, para receber dispositivos e sensores eletrônicos do A6 e-tron e deixá-los escondidos, mantendo assim um visual mais limpo na dianteira.

O novo A6 e-tron tem uma pegada mais futurista, como os demais carros elétricos, e também uma pitada de cupê na caída do teto na traseira, isso segundo a Audi, é devido ao trabalho de túnel de vento e o foco em ser mais eficiente em termos de autonomia.

O modelo também inova nas lanternas traseiras com tecnologia de LEDs orgânicos, a faixa na qual estão dispostos os diodos pode servir até como um display de mensagens e ser configurável ao gosto do cliente em termos de como as luzes serão mostradas.

Na dianteira, os faróis são do tipo LEDs Matrix, que podem trabalhar em micropontos distintos, acendendo ou apagando, conforme a necessidade e evitando ofuscar carros á frente ou no sentido oposto.

Entre outras tecnologias, o A6 e-tron vai utilizar os OLEDs para projetar no asfalto, nas laterais do carro, sinais de alerta. Isso aumenta a capacidade, por exemplo, de um ciclista ver que um carro irá virar a esquerda ou a direita.

Tudo foi pensado para ser mais eficiente no A6 e-tron, até a pintura. O modelo usa uma pintura chamada de Heliosilver. De acordo com a Audi, ela ajuda no consumo e na eficiência energética porque reflete uma porção significante da radiação térmica sobre o carro.

Com menos calor dentro a cabine, a Audi entende que os ocupantes precisarão utilizar menos o ar-condicionado, por exemplo, o que ajuda a melhorar a estimativa de consumo.

O A6 e-tron usa dois motores elétricos, um em cada eixo, que entregam 450 cv e 81,5 mkgf. O sistema de tração, como já era de se imaginar é o integral Quattro. Segundo a marca, dependendo do modo de condução usado, ele pode ficar trabalhar mais como se fosse um carro de tração traseira e não só nas quatro rodas, como de costume.

A Audi promete que nas versões mais básicas, o A6 e-tron será capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em menos de sete segundos e nas variantes mais potentes, a mesma aceleração pode ficar abaixo dos quatro segundos.

Com 700 km de autonomia estimada, o sedã elétrico também será capaz de chegar a de 5% a 80% da carga em apenas 25 minutos em um carregador ultrarrápido. Com apenas 10 minutos em um carregador desse tipo ele consegue atingir 300 km de autonomia.

Notícias