PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

REPORTAGEM

Texto que relata acontecimentos, baseado em fatos e dados observados ou verificados diretamente pelo jornalista ou obtidos pelo acesso a fontes jornalísticas reconhecidas e confiáveis.

Voltz cria versão para delivery de sua moto elétrica EVS

Batizada de EVS Work, versão tem maior autonomia - 240 km - e deve custar entre R$ 13.990 e R$ 15.990 - Divulgação
Batizada de EVS Work, versão tem maior autonomia - 240 km - e deve custar entre R$ 13.990 e R$ 15.990 Imagem: Divulgação
Arthur Caldeira

Arthur Caldeira, jornalista e motociclista (necessariamente nessa ordem) fundador da Agência INFOMOTO. Mesmo cansado de ouvir que é "louco", anda de moto todos os dias no caótico trânsito de São Paulo.

do UOL

Colunista do UOL

18/04/2021 04h00

De olho no mercado de delivery que não para de crescer, a Voltz criou uma versão profissional da sua moto elétrica EVS. Batizada de "Work", a versão terá mais resistência para o uso no dia a dia e também mais autonomia se comparada ao modelo urbano.

Enquanto a EVS convencional pode rodar até 180 quilômetros com duas baterias, a versão de trabalho percorrerá até 240 quilômetros sem a necessidade de recarregar as baterias. Além do software de gerenciamento ser diferente, a velocidade final da EVS Work será de apenas 85 km/h, menor do que os 120 km/h da EVS normal.

O modelo Work chega às lojas apenas em julho. O preço final ainda não foi definido, mas deve variar entre R$13.990 e R$15.990, segundo a Voltz.

A expectativa é de vender 15 mil unidades no próximo ano, ou seja, em 2022. Mas, bem antes disso, já agora em abril, algumas unidades devem ser vistas fazendo entregas pelas ruas de São Paulo.

A startup de motos elétricas fez uma parceria com o iFood para testar o uso de motos elétricas nas entregas. O projeto piloto contará inicialmente com 30 unidades da EVS Work que serão testadas pelos entregadores.

Após esse período experimental, a expectativa é chegar a mais de 10 mil motos elétricas entre os entregadores parceiros do iFood nos próximos 12 meses.

Para estimular o uso do modal não poluente, a Voltz fez uma parceria com o iFood e outras fintechs para criar uma linha de crédito especial para entregadores.

Notícias