PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
15 dias

Renan Calheiros vê possibilidade de CPI virar 'palanque' e relata ameaças

"Se o governo teme a politização da CPI [da Covid], ele próprio não deveria materializá-la", rebateu o senador - Marcos Oliveira/Agência Senado
"Se o governo teme a politização da CPI [da Covid], ele próprio não deveria materializá-la", rebateu o senador Imagem: Marcos Oliveira/Agência Senado
do UOL

Do UOL, em São Paulo

16/04/2021 20h31Atualizada em 16/04/2021 20h48

O senador Renan Calheiros (MDB-AL) criticou hoje as investidas do Palácio do Planalto nos bastidores para tentar barrar sua possível nomeação como relator da CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid, que vai investigar a atuação do governo federal no combate à pandemia. Para Calheiros, as tentativas de intervenção atrasam o andamento da CPI, o que pode transformá-la em "palanque" conforme as eleições de 2022 forem se aproximando.

"Essa comissão era para ter sido instalada em fevereiro, nós já estamos para além da metade do mês de abril. Se isso vai virar um palanque... Quanto mais essa investigação se aproximar do período da eleição do próximo ano, [há] mais possibilidade de virar um palanque, sim", analisou o senador em entrevista a CNN Brasil.

Ele negou que sua escolha como relator já esteja acertada, reforçando que nem sequer postula a indicação. "Mas se eles [senadores] entenderem que é uma missão, eu estou disposto a cumpri-la", acrescentou.

O governo teme a politização... Ora, se o governo teme a politização da CPI, ele próprio não deveria materializá-la. Ele deve respeitar a independência do Congresso Nacional como poder para escolher quem o Congresso quiser escolher para ser presidente, vice-presidente e relator também. Senador Renan Calheiros (MDB-AL)

Calheiros também relatou estar sofrendo ameaças nas redes sociais desde que foi apontado como possível relator da CPI, o que, segundo ele, é "muito ruim" e "mais um equívoco" por parte do governo federal.

"O governo tem que ter bom senso, acabar com essas ameaças, deixar o Congresso escolher livremente para que a gente faça uma investigação responsável, isenta e técnica, sem 'pré-dizer' quem vamos investigar e quem vai ser responsabilizado ou não", opinou.

Questionado sobre o que estaria motivando essa reação do Planalto, o senador disse não entender, argumentando que tem votado "tudo de interesse do país" no Congresso Nacional, "independentemente de quem está no governo".

"Não sei por que esse sobressalto", afirmou. "Eles dizem que eu não converso... O que eu sei fazer é conversar, não aprendi a fazer outra coisa. Entendo que é chegado o momento de passar a limpo o que aconteceu no país nos últimos anos, nós precisamos que a CPI dê as respostas que a sociedade cobra. Apenas ela dará essas respostas."

As pessoas perguntam muito: quantas mortes poderíamos ter evitado se [Jair] Bolsonaro tivesse acertado a mão? Você não tem como responder. Se ele usou a imunidade de rebanho, se ele não defendeu o isolamento por causa da retração da economia... Essas coisas todas terão que ser investigadas. Senador Renan Calheiros (MDB-AL)

Notícias