PUBLICIDADE
Topo
Notícias

Notícias

Conteúdo publicado há
1 mês

'Só saio para levar o lixo', diz idosa resgatada de cárcere privado no RJ

Dona Maria, de 79 anos, ao lado da agente da Polícia Civil que participou do resgate dela em Guaratiba (RJ) - Reprodução/TV Globo
Dona Maria, de 79 anos, ao lado da agente da Polícia Civil que participou do resgate dela em Guaratiba (RJ) Imagem: Reprodução/TV Globo
do UOL

Do UOL, em São Paulo

14/04/2021 12h40

Maria da Graça Souza Rodrigues, de 79 anos, resgatada ontem em condições análogas à escravidão, disse que só saía da casa da patroa para jogar o lixo. A idosa estava em cárcere privado dentro de uma casa em Guaratiba, na zona oeste do Rio de Janeiro. Além da patroa e da idosa resgatada, a residência tinha 40 cachorros e 20 pombos.

"Eu não saio para lugar nenhum. Nenhum mesmo. Só saio para levar o lixo", disse Maria em uma gravação divulgada pelo RJ2, da TV Globo.

Dona Maria nasceu no Maranhão, mas se mudou para o Rio na década de 60 para trabalhar. Ao ser questionada por policiais sobre estar recebendo os diretos trabalhistas, a idosa disse que não sabe "onde é que ela [a patroa] 'tá' botando".

O delegado Antônio Ricardo explicou que quando a polícia chegou no imóvel a proprietária da residência, identificada como Teresinha da Silva Moraes, ficou muito nervosa e "dificultou toda a ação policial". Apesar disso, após os agentes entrarem no imóvel, dona Maria foi encontrada em "condições sub-humanas" e resgatada.

Na delegacia, dona Maria tomou banho, trocou de roupa, reencontrou a família que mora no Rio de Janeiro e aguarda a chegada de parentes do Maranhão para retornar à terra natal. "Ô, meu Deus, muito obrigada", disse a idosa em uma gravação ao lado de dois familiares.

Teresinha da Silva Moraes prestou depoimento na 43ª DP (Guaratiba) e responderá por cárcere privado, reduzir alguém a condição análoga à escravidão e maus-tratos aos animais.

Entenda o caso

Segundo o site da assessoria de comunicação da Polícia Civil, dona Maria era mantida em cárcere privado e foi encontrada ontem "debilitada, vestindo trapos e em meio a fezes de animais, que conviviam com ela no quintal" da propriedade.

A idosa teria sido achada, de acordo com a emissora, porque uma sobrinha, que estava procurando a tia há anos, tinha anotado um antigo endereço da dona Maria em Guaratiba. Com ajuda de um catálogo telefônico, a sobrinha ligou para um telefone da lista que estava no endereço que ela tinha e falou com a cozinheira Leandra Oliveira, que mora na rua da idosa. A vizinha avisou a polícia após fazer contato e ser informada pela idosa que ela não tinha permissão para sair da residência.

Ao ser abordada pelos policiais, Maria informou que não tinha a chave do imóvel e que era mantida no local por outra pessoa, que não a deixava sair e nem falar com ninguém.

A Polícia Civil declarou que também está apurando se a dona do imóvel se apropriava da aposentadoria de dona Maria.

Notícias